Leia também:
X Fake News: Bolsonaro não fez tuíte exaltando a maçonaria

Campanha de Lula pede ao TSE remoção de vídeo de satanista

Ação foi apresentada nesta terça-feira

Pleno.News - 05/10/2022 09h06 | atualizado em 05/10/2022 11h52

Lula Foto: EFE/ Sebastiao Moreira

Nesta terça-feira (4), a campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) apresentou uma ação, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pedindo a remoção de um vídeo que associa o petista ao satanismo. O conteúdo, que foi divulgado nas redes sociais, mostra um homem se dizendo satanista e declarando apoio ao ex-presidente. As informações são do Poder360.

A campanha de Lula nega que o homem seja apoiador de Lula e indicou um vídeo divulgado há duas semanas em que o autor do vídeo aparece criticando o petista. A ação aponta que, em uma entrevista, o homem teria chamado Lula de nazista.

– É inconcebível que uma figura como essa, que possui plena consciência das controvérsias que deliberadamente manifesta, tenha mudado de opinião e tomado a iniciativa de fazer campanha a um candidato que, muito pouco antes, ofendia. (…) Pelo bem da verdade, crê-se que o representado, utilizando-se da repulsa social que todos os cristãos têm para com ele, promove um “falso apoio” ao candidato Lula da Silva. Isto é, declarou seu apoio ao candidato Lula sabendo que isso prejudicaria o candidato em razão de, deliberadamente, defender a figura do anticristo – diz a representação.

A ação pede ainda que, sob pena de multa diária, ocorra a remoção do conteúdo de todas as plataformas, e que o autor do vídeo no TikTok seja notificado.

Leia também1 Senado aprova projeto para custeio do piso da enfermagem
2 Senado já tem 16 assinaturas para CPI das Pesquisas
3 Em SP, Bolsonaro afirma que propostas de Lula são vazias
4 Após pedido de investigação do governo, Ipec diz estar tranquilo
5 Fábio Faria pede para apoiadores não responderem pesquisas

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.