Leia também:
X Damares denuncia “cartilha de erotização infantil” do PT

Justiça revoga prisão domiciliar de homem que matou petista

Com a revogação, uso da tornozeleira eletrônica também é suspensa

Gabriel Mansur - 12/08/2022 19h38 | atualizado em 12/08/2022 19h52

Jorge Guaranho Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

O policial penal federal Jorge Guaranho, acusado de matar o tesoureiro petista Marcelo Arruda no dia 9 de julho, enquanto a vítima comemorava seu aniversário de 50 anos com festa temática ao PT e à campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, teve a prisão domiciliar revogada pela Justiça nesta sexta-feira (12). A determinação é do juiz Gustavo Germano Francisco Arguello, da 3ª Vara Criminal de Foz do Iguaçu.

Guaranho teve a prisão preventiva convertida em domiciliar após o Complexo Médico-Penal de Pinhais, no Paraná, alegar que não teria condições de receber o suspeito, que precisa de cuidados médicos.

No despacho, o magistrado contrariou o presídio e afirmou que o local “possui condições de garantir a manutenção diária das necessidades básicas do custodiado com supervisão contínua”. Guaranho também foi atingido na ocasião e se recupera dos ferimentos.

– Determino o imediato recambiamento do réu Jorge José da Rocha Guaranho ao Complexo Médico Penal, ambiente prisional mais adequado ao caso – diz a decisão.

A mudança no entendimento ocorre depois que o Ministério Público encaminhou um novo ofício à Justiça em que afirma que o Complexo Médico Penal de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, tem sim condições adequadas para receber o atirador.

Dessa forma, o juiz acredita não ser mais necessário manter a prisão domiciliar, que tinha caráter “temporário e excepcional”. Com a revogação, a monitoração eletrônica (uso da tornozeleira) também é suspensa. A manifestação pode ser vista aqui.

Dessa forma, Guaranho foi removido de casa em uma ambulância cedida pela prefeitura local por volta das 18h30 e encaminhado ao Complexo Médico Penal de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, mesma unidade prisional onde ficaram detidos pela Operação Lava Jato. Guaranho ficará preso preventivamente.

Leia também1 Guaranho tem prisão domiciliar negada e irá do hospital à cadeia
2 Homem que matou petista levou ao menos 20 chutes na cabeça
3 Acesso às câmeras da festa de petista morto foi apagado
4 Advogado diz que Guaranho 'não tem memória alguma' do crime
5 Laudo: Jorge Guaranho disparou 3 vezes, e petista deu 13 tiros

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.