Leia também:
X Senador pede que STF obrigue Bolsonaro a provar fraude

Justiça determina reativação do canal do Terça Livre no Youtube

Desembargador considerou que retirar a página do ar é "desproporcional" e viola o direito à liberdade de expressão

Thamirys Andrade - 22/07/2021 09h59 | atualizado em 22/07/2021 12h17

allan dos santos capa-terca-livre-canal-do-blogueiro-allan-dos-santos-e-tirado-do-youtube
Allan dos Santos, fundador do Terça Livre Foto: Terça Livre

Na quarta-feira (21), o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) determinou a reativação do canal no Youtube do Terça Livre, portal de notícias fundado pelo jornalista Allan dos Santos. A página estava suspensa desde a última quinta-feira (15), devido à publicação de um vídeo que sugere a existência de fraude nas eleições dos Estados Unidos.

O Youtube afirma que o conteúdo divulgado pelo Terça-Livre violou a “política de integridade da eleição presidencial”.

O desembargador Antônio Carlos Mathias Coltro, porém, considera que retirar a página do ar é uma medida “desproporcional”, que viola o direito constitucional à liberdade de expressão e informação.

– Desse modo, a deliberação de exclusão dos canais da agravante da plataforma YouTube exsurge mesmo desproporcional, ressaltando-se, ainda, que se cuida de canal estabelecido há mais de 6 anos, com mais de 1 milhão de inscritos, 8.000 membros assinantes, além de contar com uma equipe de 50 funcionários e ter inúmeras contas a pagar – diz a magistrado.

A decisão derruba a resolução anterior, emitida pela juíza Ana Carolina de Almeida no dia 15 de julho. A magistrada da 8ª Vara Cível da Comarca de São Paulo afirmou que o conteúdo incitava à violência e pediu o encerramento do canal.

Leia também1 Senador pede que STF obrigue Bolsonaro a provar fraude
2 Doria: “Sonho dos brasileiros é que Lula e Bolsonaro percam”
3 Mayra Pinheiro acusa CPI de vazar dados sigilosos sobre ela
4 Bolsonaro propõe criação do Dia do Nascituro e contra o aborto
5 Cotado a ministro, Ciro Nogueira já chamou Bolsonaro de fascista

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.