Leia também:
X Alas do STF apoiam quarentena para que juízes sejam candidatos

Bolsonaro sobre excludente de ilicitude: ‘Boto farda e vou à luta’

Medida cria um dispositivo que dá imunidade a policiais que eventualmente matem pessoas em legítima defesa

Henrique Gimenes - 25/11/2021 15h36 | atualizado em 25/11/2021 21h07

Presidente Jair Bolsonaro Foto: Isac Nóbrega/PR

Nesta quinta-feira (25), o presidente Jair Bolsonaro participou de um evento em Brasília e defendeu, em seu discurso, o chamado “excludente de ilicitude”. A medida é uma proposta antiga defendida pelo governo Bolsonaro e estabelece um dispositivo que pretende dar imunidade a policiais que eventualmente matem pessoas em legítima defesa durante o exercício da sua profissão.

A proposta com o excludente de ilicitude chegou a ser enviada ao Congresso no pacote anticrime durante gestão de Sergio Moro no Ministério da Justiça. Durante a entrega de equipamentos ao Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas, Bolsonaro voltou a falar sobre o assunto.

– Não pode o policial terminar uma missão e, no dia seguinte, receber uma visita do oficial de Justiça. Se a gente aprovar isso um dia, se o Braga Netto me autorizar, eu coloco a farda e vou à luta – ressaltou.

Bolsonaro também rebateu críticas de que a proposta seja uma “carta branca” para policiais matarem.

– Nós não queremos ter carta branca para matar… queremos o direito de não morrer – apontou.

Leia também1 Frias: "Lutaremos para que a Lei Paulo Gustavo não prospere"
2 Carlos apresenta notícia-crime contra Aziz e Renan Calheiros
3 Bolsonaro diz que "outra onda" da Covid-19 "está vindo”
4 Santos Cruz se filia ao Podemos em cerimônia ao lado de Moro
5 MDB confirma pré-candidatura de Simone Tebet à Presidência

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.