Leia também:
X Barroso exalta STF na pandemia: “Salvamos muitas vidas”

Jair Bolsonaro volta a criticar a CPI: “Produziram ódio e rancor”

Presidente também defendeu o tratamento precoce contra a Covid

Paulo Moura - 20/10/2021 14h16 | atualizado em 20/10/2021 15h16

Presidente Jair Bolsonaro Foto: PR/Alan Santos

Durante sua participação em um evento no Ceará, nesta quarta-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar a CPI da Covid e disse que o seu governo “não tem culpa de absolutamente nada” em relação à pandemia do novo coronavírus. Aos gritos de “Renan vagabundo”, o presidente afirmou que o senadores do colegiado produziram apenas “ódio e rancor”.

– A voz do povo é a voz de Deus. Como seria bom se aquela CPI estivesse fazendo algo de produtivo para o nosso país. Tomaram tempo do nosso ministro da Saúde, [de] servidores, pessoas humildes e empresários. Nada produziram a não ser ódio e rancor – disse.

O chefe do Executivo também voltou a defender o tratamento precoce contra a Covid-19, um dos motivos que levaram Renan a pedir o indiciamento de Bolsonaro, e questionou a plateia sobre quem teria tomado ivermectina e cloroquina. Por fim, o líder disse que teve a coragem de apresentar “uma possível solução”.

– No momento [em] que ninguém sabia como tratar aquela doença, tive a coragem de me apresentar, depois de ouvir muita gente, em especial médicos, para uma possível solução. E, obviamente, a solução estava calcada na autonomia do médico brasileiro – completou.

Leia também1 Apple derruba app da Bíblia na China após pedido do governo
2 Auxílio Brasil: Guedes cancela compromissos fora de Brasília
3 Professora é presa por premiar alunos com doces de maconha
4 Barroso nega a Marcos Rogério acesso a dados sigilosos da CPI
5 Bolsonaro confirma Auxílio de R$ 400: 'Ninguém vai furar teto'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.