Leia também:
X Governo entrega escrituras a três igrejas no Distrito Federal

Jair Bolsonaro se filia ao PSL e discursa sobre propostas

Pré-candidato à Presidência falou de combate à violência e relação com Congresso Nacional

Camille Dornelles - 08/03/2018 08h43 | atualizado em 08/03/2018 10h51

Deputado Jair Bolsonaro é pré-candidato à Presidência da República Foto: Agência Brasil/Fábio Rodrigues Pozzebom

O pré-candidato à Presidência da República, deputado Jair Bolsonaro, passa do Partido Social Cristão (PSC) para o Partido Social Liberal (PSL) já no primeiro dia de janela partidária, que foi aberta nesta quinta-feira (8).

Na noite de quarta (7), ele participou de uma cerimônia simbólica na sede do PSL e recebeu as boas-vindas do novo partido. Bolsonaro discursou sobre suas propostas de governo e abordou temas como Estatuto do Desarmamento e negociação com Congresso Nacional e partidos de esquerda.

Bastante direto em suas afirmações, o pré-candidato falou em favor das privatizações. Segundo ele, parte das estatais deve sair do poder público já na primeira semana de governo. Mas, afirmou que “o que é estratégico tem que ser preservado”.

– Nós do Estado não podemos atrapalhar quem quer produzir, inovar, trabalhar, estudar – justificou.

Em um discurso firme sobre o combate à violência, o deputado assinalou que ela “se combate com energia e, se for o caso, com mais violência”.

De acordo com Bolsonaro, não haverá negociação em pautas referentes aos valores da família durante seu mandato, seja com o Congresso Nacional ou com partidos esquerdistas.

– Somos de direita. A sociedade brasileira enojou do politicamente correto. Quem reza nessa cartilha da esquerda não merece conviver com os bens da democracia e os bens do capitalismo – declarou o deputado, ao falar sobre temas LGBT.

Além desses pontos, o pré-candidato propôs diminuir o número de ministérios de 29 para 15, reduzir os impostos e diminuir a burocracia dos processos. Comentou também sobre o novo Ministério da Segurança Pública e contra o presidente Michel Temer.

Leia também1 Eleições 2018: Candidatos têm 30 dias para trocar de partido
2 Romero Jucá afirma que MDB quer candidato nas eleições
3 O peso político dos votos de evangélicos

Siga-nos nas nossas redes!
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.