Leia também:
X Em “saidinha” da prisão, homem faz quatro assaltos em 20 min

Jair Bolsonaro é aplaudido por médicos ao ironizar CPI da Covid

Presidente discursou no Conselho Federal de Medicina

Pleno.News - 27/07/2022 17h54 | atualizado em 27/07/2022 18h03

Presidente compareceu à sede para ouvir demandas dos médicos, afirmou assessoria de campanha Foto: Reprodução / Youtube

O presidente Jair Bolsonaro (PL) discursou, nesta quarta-feira (27), na sede do Conselho Federal de Medicina, em Brasília, em encontro não previsto na agenda oficial. Durante sua fala de aproximadamente 10 minutos, o chefe do Executivo exaltou as ações do governo federal na área da saúde, em especial no tocante à pandemia, e ironizou os integrantes da cúpula da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid-19.

Na ocasião, Bolsonaro chamou o senador Randolfe Rodrigues, vice-presidente da comissão, de “especialista em medicina intergaláctica”, e insinuou que o parlamentar “fala fino”. Ao fazer tais declarações, o presidente recebeu aplausos do público.

– Eu podia ter acabado com a CPI da Pandemia rapidamente, Marcos Rogério. Uma emenda do honestíssimo Omar Aziz e do Renildo Calheiros, irmão do honestíssimo Renan Calheiros, cujo relator era o especialista em medicina intergaláctica, o Randolfe fala fino Rodrigues… Uma emenda deles permitindo que prefeitos e governadores comprassem vacina em qualquer lugar do mundo sem certificação da Anvisa e sem licitação. Quem pagava a conta era eu – assinalou.

O chefe do Executivo também queixou-se dizendo que no Brasil proibiu-se “falar de tratamento precoce”. Ele criticou suposta interferência na autonomia médica e também na escolha de pessoas que não queriam se vacinar.

– Compramos vacina para todo mundo, de forma voluntária. Nunca exigi passaporte vacinal nem cobrei nada de ninguém, até porque eu nunca me vacinei. Entendo que isso é liberdade e democracia. É um direito meu. E estou vivo até hoje – afirmou.

O presidente ainda defendeu que ações do governo, entre elas, escolher os ministros da Saúde “sem viés político”, auxiliaram no combate à pandemia no Brasil.

– Creio que essas ações ajudaram em muito a gente a passar pela pandemia. Com baixas, sim, lamentamos, mas passamos pela pandemia. Gastamos em 2020 R$ 700 bilhões para atender governadores, prefeitos, nosso sistema de saúde. E sobrevivemos – acrescentou.

Segundo a assessoria de campanha de Bolsonaro, o presidente compareceu à sede do Conselho a fim de ouvir as demandas dos médicos.

Leia também1 Novo chefe do Inep: “Questão ideológica não integra gestão”
2 Datafolha: Bolsonaro e Lula "empatam" entre jovens cristãos
3 Tebet: Alicerces democráticos estão abalados por polarização
4 TRE suspende inquérito contra Moro sobre suposta fraude
5 Petrobras aprova nova diretriz, mas política de preços continua

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.