Leia também:
X Palácio do Planalto diz que não comentará vídeo de Alvim

Jair Bolsonaro decide exonerar secretário Roberto Alvim

Secretário de Cultura foi alvo de críticas após pronunciamento polêmico

Camille Dornelles - 17/01/2020 12h08 | atualizado em 17/01/2020 13h32

Roberto Alvim fez pronunciamento semelhante ao do nazista Goebbels Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro decidiu exonerar o secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, nesta sexta-feira (17), após dois meses no cargo. A decisão foi tomada após uma onda de críticas por um pronunciamento polêmico de Alvim.

Nele, que foi divulgado de maneira oficial nas redes sociais da Secretaria Especial de Cultura, o governista faz um discurso semelhante ao do ministro da Alemanha nazista Joseph Goebbels.

CRÍTICAS
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, pediu o afastamento do secretário. O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre, afirmou que fala é “inadmissível”.

Davi Alcolumbre se indigna com discurso de Alvim Foto: Reprodução

– É inadmissível termos representantes com esse tipo de pensamento.E,pior ainda:que se valha do cargo que ocupa para explicitar simpatia pela ideologia nazista e,absurdo dos absurdos, repita ideias do ministro da Informação de Adolf Hitler, que infligiu o maior flagelo à humanidade – continuou Alcolumbre, pelo Twitter.

Outras personalidades políticas, o filósofo Olavo de Carvalho e grupos judaicos também criticaram. A Confederação Israelita do Brasil, por exemplo, também pediu a saída do secretário.

DEFESA
Frente às acusações, Alvim se manifestou pelo Facebook, afirmando que tudo foi apenas uma “coincidência”.- O que a esquerda está fazendo é uma falácia de associação remota: com uma coincidência retórica em UMA frase sobre nacionalismo em arte, estão tentando desacreditar todo o PRÊMIO NACIONAL DAS ARTES, que vai redefinir a Cultura brasileira… É típico dessa corja. Repito: foi apenas uma frase do meu discurso na qual havia uma coincidência retórica. Eu não citei ninguém e o trecho fala de uma arte heroica e profundamente vinculada às aspirações do povo brasileiro. Não há nada de errado com a frase – declarou.

SEMELHANÇAS
As semelhanças foram apontadas em sua vestimenta, cabelo, postura, discurso e na escolha de uma trilha sonora assinada por Richard Wagner, compositor próximo a Hitler.

Comparação em preto e branco dos dois foi rapidamente difundida Foto: Reprodução

DISCURSOS COMPARADOS
“A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada.” (Goebbels)

“A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo, ou então não será nada.” (Alvim)

Leia também1 Roberto Alvim diz que vídeo criticado foi "coincidência"
2 Weintraub parafraseia Dilma: "Vamos dobrar a meta"
3 Saiba quem foi Goebbels, cujas frases foram usadas por Alvim
4 De família judia, Luciano Huck comemora demissão de Alvim
5 Bolsonaro repudia nazismo e diz que Alvim foi "infeliz"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.