Leia também:
X Pedido de Marco Aurélio pode limitar votos de seu sucessor

Jair Bolsonaro chama Barroso de “imbecil” ao pedir voto auditável

Presidente subiu o tom contra o ministro e afirmou que "fraude está no TSE"

Paulo Moura - 09/07/2021 12h09 | atualizado em 09/07/2021 12h28

Presidente Jair Bolsonaro Foto: PR/Alan Santos

Em conversa com apoiadores na manhã desta sexta-feira (9), o presidente Jair Bolsonaro voltou a subir o tom contra o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, a quem chamou de “imbecil”, e a criticar a manutenção do atual sistema de votação. De acordo com o presidente, a busca por fraudar as eleições estaria dentro do próprio TSE.

– Lá atrás, no passado, estou com 66 anos, sempre se buscava fraudar de uma forma ou [de] outra as eleições, no papel, botando mesário pra contar favorável a ele, anulando votos que interessavam. Porque [isso] é luta do poder. Hoje em dia, mudou. É de cima para baixo. A fraude está no TSE, para não ter dúvida – declarou Bolsonaro.

Para o chefe do Executivo, os institutos de pesquisa eleitoral, que colocam o ex-presidente Lula na liderança pela disputa presidencial de 2022, também estariam contribuindo para avalizar um possível resultado desfavorável ao atual presidente.

– Daí vem os institutos de pesquisa – fraudados também – botando ali o “9 dedos” lá em cima. Pra quê? Pra ser confirmado com voto fraudável no TSE. Não estou culpando todos os servidores do TSE, mas a cabeça ali tem algo, porque eles não querem o voto auditável – acusou Bolsonaro.

Leia também1 Aposentadoria de Marco Aurélio é publicada no Diário Oficial
2 Luís Roberto Barroso decide afastar presidente do Patriota
3 Bolsonaro: Queiroga está definindo percentual de vacinados para abolir máscara
4 Bolsonaro desafia: 'Caguei pra CPI. Não vou responder nada'
5 Jair Bolsonaro autoriza uso das Forças Armadas em Mato Grosso

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.