CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Bolsonaro pede apoio à eleição de Macri para empresários

Internet não quer mais verbas para partidos políticos do país

Alguns deputados federais também se posicionaram contra o Fundo Eleitoral

Pedro Ramos - 21/08/2019 14h26 | atualizado em 21/08/2019 14h27

Presidente da Câmara dos Deputado, Rodrigo Maia Foto: AGPT/Lula Marques

Nesta quarta-feira (21), a tag #MaisFundaoNao foi uma das mais populares no Twitter. Os protestos aconteceram porque hoje seria votado um incremento de R$ 2 bilhões ao Fundo Eleitoral que chegará a R$ 3,7 bilhões, caso aprovado.

A votação da medida seria realizada hoje, mas de acordo com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), pela falta do número regimental de senadores e deputados, uma nova convocação foi feita para a próxima terça-feira (27).

Alguns deputados federais usaram suas redes sociais para afirmar que são contrários ao aumento da verba, como Carla Zambelli (PSL-SP). Ela afirmou que é contrária ao uso de dinheiro público em campanhas eleitorais.

Quem também se posicionou contra a medida foi a deputada federal Caroline De Toni (PSL-SC). A parlamentar pediu o fim do “dinheiro público indo para campanhas políticas”.

O deputado federal Paulo Ganime (Novo-RJ) afirmou que vai “trabalhar para fazer o Congresso rejeitar o aumento bilionário do Fundão Eleitoral”.

Já o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou no início de julho que não achava um “exagero” o aumento de verba para partidos disputarem as eleições municipais de 2020.

Leia também1 Bolsonaro dispara: "Eu fui eleito para interferir mesmo"
2 Governo suspende edital que iria contemplar séries LGBTs
3 PL com brechas para legalizar incesto é retirado de pauta

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo