Leia também:
X Filhos de Lula processam Ciro após serem chamados de ‘ladrão’

Instituto Paraná: Tarcísio abre sobre Garcia e cola em Haddad

Ex-ministro da Infraestrutura diminuiu a diferença contra petista para 7 pontos

Gabriel Mansur - 09/09/2022 10h16 | atualizado em 13/09/2022 14h27

Tarcísio de Freitas e Fernando Haddad Fotos: Marcello Casal Jr/Agência Brasil//Rovena Rosa/Agência Brasil

Tarcísio de Freitas (Republicanos) segue crescendo nas intenções de voto para o governo de São Paulo. De acordo com pesquisa do Instituto Paraná divulgada, nesta sexta-feira (9), o ex-ministro da Infraestrutura do governo de Jair Bolsonaro (PL) subiu 1,8 ponto percentual em relação ao último levantamento, obtido em agosto, e aparece com 25,2%, na segunda colocação.

A liderança, ainda segundo as estimativas, segue sob domínio do ex-prefeito paulistano Fernando Haddad (PT). Apesar da primeira colocação, o petista caiu 1,2 ponto percentual e agora tem 32,4%. Ou seja, a diferença entre os dois principais postulantes ao Palácio do Bandeirantes, que antes era de 10,2 pontos, agora está em 7,4 pontos percentuais.

Na terceira colocação, aparece o atual governador Rodrigo Garcia (PSDB), que cresceu 1,7 ponto percentual e aparece com 17,3%, seguido por Vinícius Poit (Novo), com 1,3%. Os demais candidatos aparecem com menos de 1%. Os brancos e nulos somam 11,1% e os que não sabem/não responderam representam 10,8%.

Foram entrevistados 1.880 eleitores entre os dias 4 e 8 de setembro de 2022. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral sob o número SP-03599/2022.

Leia também1 Filhos de Lula processam Ciro após serem chamados de 'ladrão'
2 Bolsonaro incentiva compra de bandeiras: "Estão com ciúmes"
3 Weber dá 5 dias para presidente explicar reunião com diplomatas
4 CNN: 'Na Bandeira do Brasil está escrito independência ou morte'
5 Lula sobre 7 de setembro de Bolsonaro: "Parecia reunião da Ku Klux Klan"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.