Leia também:
X “Se o PL tem provas do que alega, que mostre”, diz Janaina Paschoal

Senadores protocolam pedido de impeachment de Barroso

Pedido foi protocolado por Lasier Martins, Luis Carlos Heinze e Eduardo Girão

Pleno.News - 23/11/2022 18h28 | atualizado em 23/11/2022 19h06

Ministro Luís Roberto Barroso Foto: STF/Carlos Moura

Nesta quarta-feira (23), os senadores Lasier Martins (Podemos-RS), Luis Carlos Heinze (PP-RS) e Eduardo Girão (Podemos-CE) entraram com pedido de impeachment contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso. As informações são do portal R7.

Entre as justificativas principais do pedido estão: atividade política partidária; falta de alegação de suspeição em dois episódios; e um encontro do ministro com o advogado Cristiano Zanin Martins, que representa o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Segundo Lasier, o jantar entre Zanin e Barroso “acentua os casos de relações promíscuas”.

– Tanta coisa acontecendo nas ruas e o ministro jantando com o advogado? Vamos bater enquanto tivermos vozes – acrescentou.

Para Girão, Barroso “quebrou a harmonia” entre os poderes quando esteve no Congresso, nas vésperas da votação da PEC do voto auditável.

O pedido de impeachment cita ainda um episódio em que Barroso foi cobrado, nos Estados Unidos, por um brasileiro sobre uma satisfação pelas supostas falhas no sistema de votação apresentadas pelas Forças Armadas. Na ocasião, o ministro teria respondido da seguinte forma: “Perdeu, mané. Não amola”.

Protocolado, o pedido depende de validação do presidente do Senado para tramitar.

Leia também1 "Apoio Lula na mesma hora”, diz Zema, sob uma "condição"
2 Campos Neto: Autonomia do BC será testada na troca de governo
3 TCU cobra esclarecimentos da PRF sobre combate a bloqueios
4 Não podemos conviver com o fantasma de 2022, diz Valdemar
5 Túlio Gadêlha está na equipe de transição de Lula

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.