Leia também:
X STJ libera compra de 98 novos blindados pelo Exército

ICMS dos combustíveis: STF tem maioria para validar acordo entre União e estados

Após o fim do julgamento, texto será encaminhado para o Congresso

Pleno.News - 14/12/2022 20h17 | atualizado em 15/12/2022 10h38

Prédio do STF Foto: Agência Brasil/Valter Campanato

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria para homologar acordo firmado entre União e Estados que visa compensar perdas de arrecadação com a lei que fixou teto de 17% a 18% na cobrança do ICMS sobre itens essenciais – combustíveis, energia e telecomunicações. O texto será encaminhado ao Congresso.

O ministro relator, Gilmar Mendes, foi seguido até agora por Edson Fachin, Cármen Lúcia, Luis Roberto Barroso, Nunes Marques, Ricardo Lewandowski e Luiz Fux. Devem votar até as 23h59 os ministros André Mendonça, Alexandre de Moraes, Dias Toffoli e Rosa Weber.

Os membros da comissão criada por Gilmar para discutir o tema realizaram a última reunião em dezembro, quando decidiram manter a essencialidade do diesel, gás natural e de cozinha. Estados ainda querem retirar a essencialidade da gasolina e uma nova comissão será criada para discutir o assunto.

A União propôs a manutenção do combustível na categoria, com uma alíquota adicional, mas não houve acordo.

A Fazenda Nacional concordou em alterar a base de comparação anual da perda para base mensal no cálculo de gatilho de compensação (acionado quando os Estados apresentarem perda de 5% ou mais). Houve, ainda, um acordo para que uma eventual compensação em dinheiro só seja aberta por meio de crédito extraordinário.

*AE

Leia também1 STJ libera compra de 98 novos blindados pelo Exército
2 39% dos americanos acreditam que estão no fim dos tempos
3 Carlos Jordy: "A Câmara não pode ser o puxadinho do PT"
4 Haddad: "Todos sabiam que teto de gastos não é sustentável"
5 Cultura: Janja escolhe secretário e contraria Margareth Menezes

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.