Leia também:
X PSDB também decide abandonar Baleia e adotar “neutralidade”

Heleno diz que governo buscará baixar gastos dos caminhoneiros

Ministro afirmou que administração federal busca alternativas para reduzir despesas da categoria

Paulo Moura - 01/02/2021 13h55 | atualizado em 01/02/2021 15h30

General Augusto Heleno Foto: PR/Marcos Corrêa

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, declarou, na manhã desta segunda-feira (1°), que o governo federal está atuando para conseguir recursos que possam viabilizar a redução de despesas dos caminhoneiros. Nesta segunda, alguns integrantes da categoria fazem uma manifestação pedindo redução dos encargos sobre o diesel.

– Governo Federal respeita as aspirações dos caminhoneiros. Presidente da República e ministro da Infraestrutura têm grande apreço pela categoria. Vão buscar, junto à área econômica, recursos legais para reduzir despesas que recaem sobre esses abnegados trabalhadores, essenciais ao dia a dia do país – escreveu o ministro no Twitter.

Na última semana, o presidente Jair Bolsonaro chegou a afirmar que estudava, com o ministro da Economia, Paulo Guedes, ações que pudessem diminuir o impacto da alta no combustível, mas declarou que não tinha como conseguir uma resposta imediata para a demanda.

– Estamos buscando alternativas, mas não são fáceis. Agora, reconhecemos o valor dos caminhoneiros para a economia do Brasil. Apelamos a eles para que não façam greve. Todos nós vamos perder; todos sem exceção – disse Bolsonaro na última quarta-feira (27).

Na ocasião, o presidente também chegou a afirmar que estava pronto para zerar o PIS/Cofins, imposto federal, sobre o diesel, mas pediu aos governadores que também dessem uma parcela de contribuição e reduzissem o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

– Estamos buscando uma maneira de não ter mais esse reajuste, porque os impostos federais são sobre o diesel, né. Eu estou pronto para zerar. A gente vai para o sacrifício. Mas [eu] gostaria que [o] ICMS acompanhasse também essa diminuição – completou Bolsonaro.

Leia também1 OMS enviará vacinas aos países latinos a partir de fevereiro
2 PSDB também decide abandonar Baleia e adotar "neutralidade"
3 Flávio Bolsonaro critica Maia: 'Democrata que não sabe perder’
4 Oxford não contou a voluntários da vacina sobre erro de dosagem
5 Hamilton Mourão diz que não há motivo para impeachment

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.