Leia também:
X Conselho de Ética analisa casos de Silveira e Flordelis nesta terça

Guilherme Boulos é derrotado na Justiça por Augusto Nunes

Político havia pedido indenização após receber críticas do jornalista e ser chamado de "gigolô de sem-teto"

Paulo Moura - 23/02/2021 09h23 | atualizado em 23/02/2021 09h53

Guilherme Boulos Foto: Reprodução

O ex-presidenciável pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Guilherme Boulos, foi derrotado em uma disputa judicial no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) contra o jornalista Augusto Nunes, da rádio Jovem Pan. A ação impetrada pelo político socialista era relativa a um pedido de indenização sobre uma fala de Nunes em 2019.

O pedido de Boulos foi rejeitado por unanimidade no TJSP, com o voto contrário de três desembargadores sobre o pedido do político esquerdista. O anúncio da decisão foi feito por Nunes durante a edição de segunda-feira (22) do programa Os Pingos nos Is. O psolista havia recorrido ao Judiciário após o jornalista chamá-lo de “gigolô de sem-teto”, em agosto de 2019.

– Ele vive de ficar brincando de dirigente de sem-teto. A Justiça achou perfeitamente pertinente a metáfora – declarou o comentarista.

Nunes ainda afirmou que “ele [Boulos] ganhou a casa do pai. Ele não tem profissão definida. Não tem local de trabalho conhecido. Ele vive de falar”. Logo após o anúncio da decisão, o jornalista afirmou que agora ele é quem pretende processar o socialista por ele ter dito que o jornalista não teria pago o que lhe devia. Dívida que, com a sentença, ficou comprovada que não existe.

Leia também1 Anitta e Boulos estão nas '100 lideranças emergentes' da Time
2 Esquerda comemora prisão de deputado Daniel Silveira
3 Deputada do PSOL vai ao STF contra nomeação de Zambelli
4 Boulos pode ter que devolver R$ 28 mil destinados a suposta empresa fantasma
5 Bolsonaro segue na liderança para 2022, afirma pesquisa

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.