Leia também:
X Moraes prorroga pela 5ª vez inquérito de milícias digitais

Grão-mestre da maçonaria do RJ diz que Bolsonaro não é maçom

Fake news lançada pela esquerda visa tirar apoio dos evangélicos ao presidente

Leiliane Lopes - 07/10/2022 20h56 | atualizado em 10/10/2022 14h15

José Ricardo Salgueiro de Castro, grão-mestre da Grande Loja Maçônica do Estado do Rio de Janeiro Foto: Reprodução

No começo desta semana, surgiu uma fake news promovida por ativistas da esquerda dizendo que o presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, tem ligações com a maçonaria.

Para esclarecer o assunto, José Ricardo Salgueiro de Castro, grão-mestre da Grande Loja Maçônica do Estado do Rio de Janeiro, gravou um vídeo dizendo que a participação de Bolsonaro no evento que foi reproduzido por seus críticos não significa que ele tenha vínculo com a instituição.

– Tendo em vista os ataques e as inverdades que estão sendo veiculadas pelas redes sociais, venho a público esclarecer que o senhor Jair Messias Bolsonaro não é maçom – disse Salgueiro de Castro.

E continuou:

– Sendo o senhor Jair Messias Bolsonaro deputado federal, foi convidado para fazer uma palestra sobre o futuro do Brasil.

O grão-mestre também esclareceu que o evento em questão foi aberto, onde representantes de toda a sociedade civil tiveram acesso, “sendo elas maçons”.

Os ataques da esquerda têm como objetivo retirar o apoio que Jair Bolsonaro tem das igrejas evangélicas.

Assista:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Michelle Bolsonaro (@michellebolsonaro)

Leia também1 "E aí?": Malafaia resgata vídeo de Alckmin na maçonaria
2 Fake News: Bolsonaro não fez tuíte exaltando a maçonaria
3 Léia Miranda diz que diretores da IPDA são maçons
4 Moraes prorroga pela 5ª vez inquérito de milícias digitais
5 Com apoio de Guedes, MEC vai liberar verba para universidades

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.