Leia também:
X Joel Pinheiro e Nikolas Ferreira trocam farpas nas redes sociais

Gleisi diz que Lula irá revogar o teto de gastos caso seja eleito

Presidente do PT disse que esta será a "primeira coisa" a cair

Pierre Borges - 10/01/2022 12h38 | atualizado em 10/01/2022 12h55

Lula e Gleisi Hoffmann
Lula e Gleisi Hoffmann Foto: PT/Ricardo Stuckert

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, revelou em entrevista publicada nesta segunda-feira (10) no jornal O Globo que, caso seja eleito, a primeira coisa que Lula irá fazer como presidente é revogar o teto de gastos.

Ela acredita que o teto está “desmoralizado” e criticou o presidente Jair Bolsonaro por ter feito “o orçamento de guerra e muitas outras coisas fora do teto aos olhos do mercado”.

– E agora querem exigir de nós respeito ao teto? – questionou a petista.

Outras medidas a serem revogadas, em caso de vitória de Lula, são a política de preços da Petrobras e a reforma trabalhista.

Ao comentar o desastre econômico do governo Dilma, que levou o país a dois anos de recessão, Gleisi descartou a possibilidade de qualquer autocrítica e culpou o então ministro da Fazenda Joaquim Levy.

– O Joaquim Levy, que é liberal, é o culpado pelo que aconteceu. Ele induziu Dilma a fazer coisas que não deveria ter feito – disse.

Nos próximos dias, economistas petistas deverão começar a desenhar o plano econômico de Lula. A base para o planejamento será um roteiro da Fundação Perseu Abramo que contém críticas ao teto de gastos e inclui propostas referentes à tributação das pessoas mais ricas.

Leia também1 Joel Pinheiro e Nikolas Ferreira trocam farpas nas redes sociais
2 Vice-prefeito morre, aos 64 anos, vítima de infarto
3 Capitólio: Metade dos mortos pertencia à mesma família
4 Cabul: Bebê entregue a soldado em aeroporto reencontra família
5 Deputado desafia Mano Brown a pedir teste toxicológico em show

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.