Leia também:
X Inquérito sobre a tornozeleira de Silveira é prorrogado por 60 dias

Girão defende que Moraes vá ao Senado ‘prestar esclarecimentos’

Declaração foi dada pelo senador durante entrevista à CNN Brasil

Pleno.News - 02/05/2022 20h55 | atualizado em 03/05/2022 09h41

Senador Eduardo Girão Foto: Pedro França/Agência Senado

Nesta segunda-feira (2), o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) comentou as manifestações em favor do presidente Jair Bolsonaro ocorridas neste domingo (1º) e afirmou que elas foram legítimas. Em entrevista à CNN Brasil, o parlamentar defendeu ainda que o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), compareça ao Senado para prestar esclarecimentos.

Girão lembrou da condenação imposta ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) pelo STF e se posicionou contra a decisão.

– Por mais que discorde do que o Silveira falou, existe todo um devido processo legal dentro da Constituição para se punir isso – apontou.

O senador então lembrou de seu requerimento para chamar Moraes ao Senado para explicar a ação contra Silveira.

– [Espero] que ele possa explicar o que disse, na época de sua sabatina, de que iria respeitar a Constituição – destacou.

Durante a entrevista, Girão ainda defendeu que o Senado pode ajudar na pacificação da crise atual.

– É legítimo esse grito das pessoas de querer mudanças. O Senado Federal tem prerrogativa constitucional de fazer impeachment de ministros por conduções suspeitas, ou investigar, e nunca fez isso em 132 anos de República. Chegou a hora do Senado fazer esse papel – ressaltou.

Leia também1 Inquérito sobre a tornozeleira de Silveira é prorrogado por 60 dias
2 Justiça Federal no RJ arquiva ação contra perdão de Bolsonaro
3 Fux terá reunião com Pacheco e deve tratar da relação de poderes
4 Barroso rebate fake news sobre "orgia com José Dirceu em Cuba"
5 Janaina critica editorial do Estadão que atacou Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.