Leia também:
X Covid: SP divulga calendário de vacinação para todos os adultos

Gilmar dá 5 dias para Bolsonaro explicar onde Eduardo Leite “enfiou a grana”

Declaração do presidente contra o governador do Rio Grande do Sul ocorreu durante entrevista à TV Band em março

Henrique Gimenes - 02/06/2021 16h04 | atualizado em 02/06/2021 17h07

Ministro Gilmar Mendes, do STF, e o presidente Jair Bolsonaro Foto: Arte/Pleno.News

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu um prazo de cinco para dias para o presidente Jair Bolsonaro dar explicações sobre uma declaração que fez a respeito do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB).

Em março, durante entrevista à TV Band, Bolsonaro questionou o uso que o político fez de recursos enviados pelo governo federal para o combate à Covid-19. A declaração foi feita ao apresentador José Luiz Datena, no Brasil Urgente. Bolsonaro chamou Leite de “péssimo administrador” e questionou onde ele “enfiou essa grana”.

– [Onde] O governador do Rio Grande do Sul, que fala muito manso, muito educadamente, uma pessoa até simpática, mas é um péssimo administrador, enfiou essa grana? Eu não vou responder pra ele. Mas eu acho que eu sei onde ele botou essa grana toda aí. Não botou na saúde – afirmou.

Após a entrevista, o governador do Rio de Grande do Sul decidiu acionar o STF pedindo que o presidente esclarecesse a fala. Para Gilmar Mendes, a solicitação de Eduardo Leite é “pertinente”. Por causa disso, o ministro deu o prazo para que Bolsonaro apresente as explicações.

Leia também1 Garcia: Calheiros foi autoritário, agressivo e teve viés machista
2 Malafaia rebate declarações de Doria: "O genocida é você!"
3 Juliana Paes critica "boçalidade" de senadores contra Dra. Nise
4 Mourão admite deixar o governo para concorrer a outro cargo
5 'Peguei um país destroçado ética, moral e economicamente'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.