Leia também:
X Tarcísio anuncia nomes de mais nove secretários de seu governo

Geraldo Alckmin será ministro após recusa de empresários

Vice eleito vai assumir a pasta do Desenvolvimento, Indústria e Comércio

Monique Mello - 22/12/2022 12h16 | atualizado em 22/12/2022 17h10

Lula e Alckmin Foto: Reprodução/CNN Brasil

O vice-presidente eleito Geraldo Alckmin (PSB) foi anunciado como o futuro ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, nesta quinta-feira (22). O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que “daria mais trabalho para o seu vice”. O nome do ex-tucano foi anunciado junto a outros 14 ministros dentre os 37 que irão compor o governo Lula.

De acordo com o petista, Alckmin lhe pedia mais trabalho “todo santo dia”.

– Pensei: “Se eu não der trabalho para esse cara, ele vai me dar dor de cabeça” – disse Lula.

O presidente eleito declarou que irá contar com a capacidade de articulação política de Alckmin e com o “respeito que ele tem com os empresários brasileiros”.

Em novembro, Lula havia garantido que Alckmin não seria ministro do seu governo. Mas a escolha de seu vice para essa vaga de ministro acontece após empresários de renome recusarem o posto. O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Josué Gomes da Silva, disse não ao convite para o ministério. Lula convidou Josué no dia 14 e ele recusou dois dias depois.

O empresário Pedro Wongtschowski, do Grupo Ultra, também foi convidado, mas declinou. Ele foi apoiador da candidatura de Simone Tebet (MDB-MS) ao Palácio do Planalto.

Leia também1 PEC do Estouro: Michelle critica deputados que votaram a favor
2 Lula anuncia nome de mais 16 ministros. Confira a lista
3 63% são contra bloquear perfis que pedem intervenção militar
4 Escolhido por Dino para PRF tem foto em que faz alusão a Fidel
5 Irmã de Marielle Franco será a ministra da Igualdade Racial

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.