Leia também:
X Menino filma próprio estupro para provar para a mãe

Gabinete de Transição começa a revelar nomes; confira

Mais de 50 nomes foram confirmados até o momento

Leiliane Lopes - 11/11/2022 17h10 | atualizado em 14/11/2022 17h40

Geraldo Alckmin é o coordenador da transição Foto: EFE/Joédson Alves

O Gabinete de Transição já tem mais de 50 nomes confirmados. Políticos de carreira, líderes de movimentos sociais, economistas e jornalistas fazem parte dessa lista coordenada pelo ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSB).

Sediado no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, o governo de transição funcionará até a primeira semana de janeiro, depois da posse do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A lista completa do time que atuará nesta mudança de governo deve contar com até 150 contratados, segundo a Constituição, mas o novo governo também terá voluntários; isso é, pessoas que trabalharão sem remuneração.

Algumas personalidades como Jorge Rodrigo Araújo Messias, o Bessias, que é citado durante uma conversa grampeada entre Lula e a ex-presidente Dilma, está no primeiro escalão do processo. Ele será coordenador jurídico.

Confira a lista completa:

COMUNICAÇÃO
– Paulo Bernardo, ex-ministro das Comunicações;
– Jorge Bittar, ex-deputado federal;
– Cesar Álvarez, ex-secretário-executivo do Ministério das Comunicações;
– Alessandra Orofino, especialista em economia e direitos humanos.

CONSELHO PARTIDÁRIO
– Antônio Brito (PSD);
– Carlos Siqueira (PSB);
– Daniel Tourinho (Agir);
– Felipe Espirito Santo (Pros);
– Gleisi Hoffmann (PT);
– Guilherme Ítalo (Avante);
– Jefferson Coriteac (SD);
– José Luiz Penna (PV);
– Juliano Medeiros (PSol);
– Luciana Santos (PCdoB);
– Wesley Diógenes (Rede);
– Wolney Queiroz (PDT).

DIREITOS HUMANOS
– Maria do Rosário, deputada federal (PT-RS);
– Maria Vitória Benevides;
– Silvio Almeida, advogado;
– Luis Alberto Melchetti, doutor em Economia;
– Janaína Barbosa de Oliveira, movimento LGBTQIA+;
– Rubens Linhares Mendonça Lopes, setorial Pessoa com Deficiência;
– Emídio de Souza, deputado estadual (PT-SP).

ECONOMIA
– Pérsio Arida, ex-presidente do Banco Central;
– André Lara Resende, economista;
– Nelson Barbosa, ex-ministro da Fazenda;
– Guilherme Mello, economista.

IGUALDADE RACIAL
– Nilma Mino Gomes, ex-ministra das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos;
– Givania Maria Silva, quilombola e doutora em Sociologia;
– Douglas Belchior;
– Thiago Tobias, advogado coalizão negra;
– Ieda Leal;
– Martvs das Chagas, secretário de Planejamento de Juiz de Fora (MG);
– Preta Ferreira, movimento negro e moradia.

INDÚSTRIA, COMÉRCIO E SERVIÇOS
– Germano Rigotto, ex-governador;
– Jackson Schneider, executivo da Embraer;
– Rafael Luchesi, Senai;
– Marcelo Ramos, deputado federal (AM).

MULHERES
– Anielle Franco;
– Roseli Faria, economista;
– Roberta Eugênio, mestre em Direito;
– Maria Helena Guarezi, professora;
– Eleonora Menecuti, ex-ministra;
– Aparecida Gonçalves, ex-titular da Secretaria Nacional da Violência contra a Mulher.

PEQUENAS EMPRESAS
– André Ceciliano, presidente da Assembleia Legislativa do RJ;
– Paulo Okamoto, ex-presidente do Sebrae;
– Tatiana Conceição Valente, especialista em Economia Solidária;
– Paulo Feldman, professor da USP.

Leia também1 Ex-ministro da Fazenda diz que Lula não deve falar de economia
2 Bolsonaro indica defensor para novo mandato de dois anos
3 Lula acusa Bolsonaro de "humilhar" as Forças Armadas
4 Fotos: Janja, mulher de Lula, vai ao velório de Gal Costa
5 Jornalista Carlos Sardenberg deixa a TV Globo: "Está na hora"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.