Leia também:
X Carlos apresenta notícia-crime contra Aziz e Renan Calheiros

Frias: “Lutaremos para que a Lei Paulo Gustavo não prospere”

Secretário de Cultura afirmou que a proposta vai "transformar a Secretaria Especial de Cultura num mero caixa eletrônico de saque compulsório"

Henrique Gimenes - 25/11/2021 15h17 | atualizado em 25/11/2021 16h02

Presidente Jair Bolsonaro e Mario Frias, secretário de Cultura Foto: Isac Nóbrega/PR

O Senado Federal votou e aprovou, nesta quarta-feira (24), a Lei Paulo Gustavo, que libera R$ 3,8 bilhões para o setor cultural no Brasil. Antes da votação, no entanto, o secretário especial de Cultura, Mario Frias, criticou a medida e explicou que o projeto não foi negociado com o governo.

O Projeto de Lei Complementar (PLP) 73/2021 prevê que os recursos virão do Fundo Nacional da Cultura (FNC) e que estes deverão ser repassados para estados e municípios distribuírem as verbas por meio dos fundos estaduais e municipais de cultura.

Estou acompanhando a fala do senador Randolfe sobre a votação do PL Paulo Gustavo. O senador mentiu ao dizer que houve diálogo de concordância com o governo – apontou Frias.

O secretário ressaltou que o governo é completamente contra ao projeto e que ele irá transformar a Secretaria “num caixa eletrônico de saque compulsório“.

Não houve nenhum diálogo com o governo, pois somos completamente contrários ao projeto, que é claramente inconstitucional, que tenta transformar a Secretaria Especial de Cultura num mero caixa eletrônico de saque compulsório. Lutaremos para que essa proposta absurda não prospere.

A proposta foi aprovada com 68 votos a favor e 5 contra.

Leia também1 Bolsonaro diz que "outra onda" da Covid-19 "está vindo”
2 Santos Cruz se filia ao Podemos em cerimônia ao lado de Moro
3 MDB confirma pré-candidatura de Simone Tebet à Presidência
4 Senadores da CPI da Covid vão levar relatório final à Holanda
5 Tarcísio deve ser candidato ao governo de SP, reforça Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.