Leia também:
X Justiça de SP suspende vacinação imediata de todos os presos

Frias critica uso de “todes” em post do Museu da Língua Portuguesa

'Não aceitarei que investimento sirva para que agentes públicos brinquem de revolução', destacou secretário

Pleno.News - 23/07/2021 22h14 | atualizado em 23/07/2021 22h17

Secretário especial de Cultura, Mario Frias

Nesta sexta-feira (23), o secretário especial de Cultura do Governo Federal, Mario Frias, criticou uma publicação do Museu Nacional da Língua Portuguesa, por causa do uso do termo neutro “todes”.

– Nesta nova fase do MLP, a vírgula – uma pausa ligeira, respiro – representa o recomeço de um espaço aberto à reflexão, inclusão e um chamamento para todas, todos e todes os falantes, ou não, do nosso idioma: venham, voltamos! #31JulhoMLP – escreveu o museu, no Twitter.

Frias destacou que não irá aceitar que o investimento de R$ 56 milhões, desembolsado pelo governo federal para obras do Museu da Língua Portuguesa, “sirva para que agentes públicos brinquem de revolução”.

– Tomarei medidas para impedir que usem o dinheiro público federal para suas piruetas ideológicas. Se o governo paulista se comporta como militante, vandalizando nossa cultura, não o fará com verba federal. O governo federal investiu 56 milhões de reais nas obras do Museu da Língua Portuguesa, para preservarmos o nosso patrimônio cultural, que depende da preservação da nossa língua. Não aceitarei que esse investimento sirva para que agentes públicos brinquem de revolução – destacou o secretário.

Publicações do secretário Foto: Reprodução

Leia também1 Museu da Língua Portuguesa usa "todes" em publicação no Twitter
2 Deputada repudia desenho que tem ideologia de gênero
3 Novo desenho infantil promove ideologia de gênero na Netflix
4 Secretário especial da Cultura destaca encontro com Guedes
5 Frias e Camargo rebatem youtuber comunista na web

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.