Flávio Bolsonaro e Marcelo Freixo batem boca no Twitter

A prisão de deputado estadual André Corrêa deu início à discussão

Pleno.News - 08/11/2018 20h28

Os políticos discutiram no Twitter por causa da prisão de André Corrêa Arte: Pleno.News

O senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) e o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL) discutiram no Twitter na tarde desta quinta-feira (8). O pivô da discussão foi o deputado estadual André Corrêa (DEM), um dos dez presos pela Operação Lava Jato na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), na manhã de hoje. André é o candidato do partido de Bolsonaro para a presidência da Alerj.

– André Corrêa é o candidato do PSL para a presidência da Alerj. Não era para combater a corrupção? – indagou Freixo.

Flávio rebateu a mensagem dizendo que o PSOL apoiou Fernando Haddad à Presidência, “o candidato do presidiário condenado por corrupção” e ainda completou que “a diferença entre PSL e PSOL não é apenas a letra ‘O'”. Ao que o deputado federal replicou alegando que o filho do presidente eleito foi apoiador de Sérgio Cabral, Jorge Picciani, Paulo Maluf e Julio Lopes.

– Não cuspa no prato que comeu! Você sempre foi parceiro do Picciani até em lei que facilita entrada de armas e drogas nos presídios do Rio. Depois não quer ser chamado de defensor de bandidos – respondeu Flávio.

A partir daí, Marcelo Freixo postou a imagem de um pedido de cassação, feito em novembro de 2017, pela bancada do PSOL, para Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi. Freixo aproveitou para lembrar que “a omissão da direção da Alerj está completando um ano”.

– Se você não tem competência pra fazer uma lei boa na área da Segurança, estude e se prepare melhor. O Senado vai precisar de alguém mais preparado – retrucou o psolista.

O senador encerrou a discussão de forma irônica parabenizando Freixo pela “competência em facilitar o ingresso de celulares nos presídios do Rio” e afirmou que a ideologia do partido “faz tanto mal ao povo quanto a corrupção”.

– A gente consegue fazer bons projetos de leis com quem somos opositores. Só consegue fazer isso quem está preparado para a democracia e não quem tem saudade da ditadura – finalizou Freixo.

Sobre a prisão de André Corrêa, o PSL emitiu uma nota assinada por Flávio Bolsonaro afirmando desconhecer os fatos revelados pela Polícia Federal que levaram à detenção do deputado estadual.

– A bancada do PSL na Alerj vinha debatendo apoiar a candidatura de André Corrêa (DEM) para a presidência da Casa, até então o nome mais viável para derrotar a chapa composta por PT e MDB. O mesmo encontrava-se no exercício do seu mandato e a bancada do PSL desconhecia. Agora, os deputados estaduais do PSL buscarão uma outra alternativa para a presidência da Alerj e não está descartada a possibilidade de candidatura própria.

LEIA TAMBÉM+ Bolsonaro desiste de criar o Ministério da Família
+ Toquinho critica artistas e revela apoio a Bolsonaro
+ Servidores protestam contra fim do Ministério do Trabalho

  • Adicione nosso número de WhatsApp: +55 (21) 97150-9158 e envie sugestões direto para a redação.