Leia também:
X Covid: Coppolla “detona” Doria por politizar início da vacinação

Fiocruz deve entregar doses da vacina de Oxford em março

Fundação informou que adiou a entrega dos imunizantes devido a um atraso na chegada de insumos para a produção

Henrique Gimenes - 19/01/2021 21h16 | atualizado em 20/01/2021 10h08

Fiocruz deve entregar doses da vacina de Oxford em março Foto: Reprodução

Em um ofício enviado ao Ministério Público Federal (MPF) nesta terça-feira (19), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) informou que irá adiar a entrega das primeiras doses da vacina contra a Covid-19 produzidas no país. Os imunizantes, desenvolvidos em uma parceria entre a Universidade de Oxford e a Astrazeneca, serão entregues apenas em março.

A previsão inicial era entregar as doses em fevereiro, mas devido ao atraso na chegada dos insumos para a produção da vacina, que são importados da China, o prazo teve que ser adiado.

A nova data consta em um ofício assinado pelo diretor do Instituto Bio-Manguinhos, Mauricio Zuma Medeiros, enviado ao MPF após ser questionado sobre as entregas de 2 milhões doses da vacina pela Índia e também das outras que serão produzidas no Brasil.

“Estima-se que as primeiras doses da vacina sejam disponibilizadas ao Ministério da Saúde em início de março de 2021, partindo da premissa de que o produto final e o IFA apresentarão resultados de controle de qualidade satisfatórios, inclusive pelo INCQS (Instituto Nacional de Controle da Qualidade em Saúde). Importa mencionar que o período de testes, relativos ao controle de qualidade, está estimado em 17 dias, contados da finalização da respectiva etapa produtiva, acrescidos de mais 2 dias de análise pelo INCQS”, aponta o documento sobre a produção no país.

O material que falta é o IFA (ingrediente farmacêutico ativo), previsto para chegar ao país neste sábado (23). No entanto, de acordo com a Fiocruz, deve levar mais de um mês para a produção das vacinas, já que as doses precisam passar por testes de qualidade.

Em nota, a Fiocruz afirmou que “embora ainda dentro do prazo contratual em janeiro, a não confirmação até a presente data de envio do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) poderá ter impacto sobre o cronograma de produção inicialmente previsto de liberação dos primeiros lotes entre 8 e 12 de fevereiro. O cronograma de produção será detalhado assim que a data de chegada do insumo estiver confirmada. Ainda que sejam necessários ajustes no início do cronograma de produção inicialmente pactuado, a Fiocruz segue com o compromisso de entregar 50 milhões de doses até abril deste ano, 100,4 milhões até julho e mais 110 milhões ao longo do segundo semestre, totalizando 210,4 milhões de vacinas em 2021”.

Leia também1 Covid: Coppolla "detona" Doria por politizar início da vacinação
2 Flávio Bolsonaro afirma que não tomará vacina da Covid-19 agora
3 Anticorpos podem ficar mais fortes 6 meses após a Covid-19
4 Covid deve se tornar resfriado leve em até 10 anos, diz estudo
5 Mourão defende Pazuello e fala em "excesso de pressão"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.