Leia também:
X Martins: ‘Relação Brasil-Índia vive melhor momento histórico’

Filha de Fachin assina texto que pede impeachment de Bolsonaro

Manifesto foi elaborado por professores da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Pleno.News - 29/01/2021 17h50 | atualizado em 29/01/2021 19h19

Presidente Jair Bolsonaro Foto: PR/Marcos Corrêa

Em uma nova ofensiva contra Jair Bolsonaro, um grupo de professores da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná (UFPR) assinou um manifesto pedindo o impeachment do presidente. E um dos nomes na lista é o de Melina Fachin, filha do ministro Edson Fachin do Supremo Tribunal Federal (STF).

À colunista Mônia Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo, Melina Fachin, professora de Direito Constitucional da UFPR, falou sobre o manifesto.

– O movimento foi organizado autonomamente pelos professores. É uma iniciativa de cidadãos que percebem os problemas que condutas do presidente têm causado, notadamente em relação à saúde pública e à democracia – explicou.

No documento, os professores afirmam que “desde que assumiu a presidência, Jair Bolsonaro vandaliza a Constituição de 1988 ao fragilizar nosso sistema democrático com ataques infundados às instituições, notadamente as de controle e investigação”.

Para ele, Bolsonaro também “atenta expressa e publicamente contra o livre exercício dos demais Poderes, ataca a imprensa livre, e incentiva e apoia a perseguição a jornalistas e intelectuais que fazem um debate público e transparente sobre seu governo”.

Leia também1 Apoiadores de Bolsonaro são 'babacas' e 'sem noção', diz Xuxa
2 Bolsonaro cogita novas pastas após eleição da Câmara e Senado
3 Bolsonaro ironiza opositores em live com 'Avanço' e 'Leite Moça'
4 "Se acontecer, a gente vai pra cima", diz Bolsonaro sobre impeachment
5 Jair Bolsonaro diz: "Tem muitos evangélicos que gostam de mim"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.