Erro? Telegram desmente Uol sobre telefones hackeados

Empresa disse que não havia indícios de que o sistema fora invadido

Pleno.News - 11/06/2019 17h03

Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro Foto: Agência Brasil/Marcelo Camargo

Nesta terça-feira (11), o aplicativo de mensagens Telegram desmentiu uma afirmação feita pelo portal Uol a respeito de celulares hackeados no vazamento de conversas de membros da Lava Jato. Inicialmente, o site tinha dito que o aplicativo não tinha encontrado evidências de que os telefones do ministro da Justiça, Sergio Moro, e de procuradores da operação tinham sido invadidos.

No entanto, após a publicação da matéria, o próprio Telegram resolveu intervir e rebater a afirmação. Pelo Twitter, o aplicativo disse que não tinha encontrado indícios de hackeamento no sistema, mas que em nenhum momento havia falado sobre os aparelhos celulares.

Após a intervenção do Telegram, o Uol corrigiu o texto, o que não salvou o portal de críticas de usuários nas redes sociais.

LEIA TAMBÉM+ Bolsonaro ignora ataques a Sergio Moro e o condecora
+ #EuToComOMoro! Apoio a Moro domina redes sociais


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo