Leia também:
X Senado anuncia esforço e terá reunião de líderes na segunda

Equipe de Lula se movimenta para tornar Bolsonaro inelegível

Mais duas ações de investigação judicial eleitoral contra o presidente serão apresentadas

Monique Mello - 04/11/2022 12h25 | atualizado em 04/11/2022 12h41

Presidente Jair Bolsonaro Foto: EFE/ Joédson Alves

A campanha de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), eleito presidente no último domingo (30), prepara ao menos duas ações contra o presidente Jair Bolsonaro (PL), que podem impedi-lo de se candidatar a cargos políticos novamente, ou seja, torná-lo inelegível. As ações são por abuso de poder político e econômico.

O primeiro processo visa analisar as declarações de Bolsonaro as quais questionavam o sistema eleitoral brasileiro, bem como a ineficiência das urnas eletrônicas. Nessa ação, o PT quer incluir a responsabilização pelas manifestações que bloquearam rodovias brasileiras na primeira semana após o segundo turno.

A segunda ação tem como foco os atos de Bolsonaro em questões econômicas, como os benefícios liberados pelo governo durante a campanha eleitoral. Um deles é a concessão de crédito consignado para beneficiários do Auxílio Brasil.

As ações se somarão a mais outras quatro que a equipe de Lula já abriu para a inelegibilidade do atual presidente. São elas:

– A que acusa disseminação de desinformação em redes de apoiadores de Bolsonaro;
– Sobre o uso da máquina nos atos de 7 de Setembro para fazer campanha eleitoral;
– Que aponta abuso de poder no discurso da ONU;
– Que questiona os disparos em massa de SMS com banco de dados públicos do Paraná.

Leia também1 Após posse, processos restantes contra Lula ficarão parados
2 Com presidente Lula, PT chegará a 15 indicações para o Supremo
3 Bolsonaro e Alckmin conversam rapidamente no Planalto
4 Simone Tebet terá segurança reforçada após alegar ameaças
5 Christiane Pelajo pede demissão da Globo: "Pensar mais em mim"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.