Leia também:
X STF desmente fala atribuída a Luís Barroso sobre Bolsonaro

Empresários saem preocupados de jantar com Gleisi

Participantes do evento ficaram incomodados com política econômica de Lula

Pleno.News - 06/04/2022 13h21 | atualizado em 06/04/2022 16h38

Gleisi Hoffmann, presidente do PT Foto: Agência Brasil/Fabio Rodrigues Pozzebom

A presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann, participou de um jantar com 30 grandes empresários e executivos do setor financeiro na última segunda-feira (4). Segundo participantes do encontro relataram à CNN Brasil, os empresários saíram do evento preocupados com a política econômica de Lula.

De acordo com um dos presentes, o “clima foi cordial, mas o conteúdo foi horroroso”. O discurso de Gleisi foi comparado pela fonte com a política econômica de Dilma Rousseff, que hoje o PT tenta encobrir na campanha de Lula.

Na ocasião, Gleisi estava acompanhada do economista Gabriel Galípolo, ex-presidente do Banco Fator. O jantar foi realizado na casa do empresário João Camargo, do grupo Esfera Brasil. Esse foi o primeiro de vários encontros que o setor privado realizará com presidenciáveis. Segundo a Folha de S.Paulo, parte dos convidados possui uma forte proximidade às políticas do presidente Jair Bolsonaro.

Entre os pontos abordados por Gleisi, que foram considerados problemáticos por empresários, está o discurso contrário às privatizações e a defesa de que o Estado deve ser o gerador de crescimento do país.

– Somos contra as privatizações. Hoje o investimento está em 14% do PIB, porque as estatais estão sendo vendidas e não fazem o papel de indutor dos investimentos – teria declarado Gleisi na ocasião.

A dirigente do PT ainda afirmou ser contra a reforma administrativa e criticou o lucro da Petrobras. Ela também classificou a remuneração da diretoria da petroleira como um “absurdo”: “Meu Deus para que tanto?”, teria dito Hoffmann.

Outra fala de Gleisi, que desagradou parte da plateia, foi seu aceno à retomada dos investimentos públicos em refinarias de petróleo para amenizar o preço dos combustíveis.

Na avaliação de participantes ouvidos pelo periódico, o “ponto alto” do evento foi quando Gleisi afirmou que Roberto Campos Neto será mantido no posto de presidente do Banco Central.

Leia também1 Podemos planeja cobrar União Brasil por despesas com Moro
2 Após ostentar relógio de R$ 50 mil, Lula critica classe média
3 Bolsonaro diz que vai mandar vídeo do Lula para Putin
4 União Brasil seria contrário à candidatura de Moro ao Senado
5 Maia desiste de disputar eleição e pede PSDB "à direita de Lula"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.