Leia também:
X Bolsonaro ganha de presente quadro feito por um apoiador

Adrilles Jorge diz que partido de Bolsonaro deu “tiro no pé”

Polêmicas no festival Lollapalooza foram repercutidas no Morning Show

Monique Mello - 28/03/2022 15h01 | atualizado em 28/03/2022 16h53

Adrilles Jorge retornou ao Morning Show Foto: Reprodução/YouTube Morning Show

Menos de 50 dias após deixar a rádio Jovem Pan por fazer um gesto que foi associado ao nazismo, o escritor e comentarista Adrilles Jorge retornou à emissora nesta segunda-feira (28) e passou a integrar o quadro de apresentadores do programa Morning Show.

Durante sua participação no programa, Adrilles comentou a polêmica envolvendo manifestações políticas no Lollapalooza, chamando Anitta e Pabllo Vittar de “pseudoartistas”. Ao ser questionado se para ele o Bolsonaro e o PL tentaram censurar os artistas do festival, o comentarista disse que a representação do PL contra o festival foi um “tiro no pé” para a campanha de Jair Bolsonaro.

– Eles [o partido] tentaram usar da prerrogativa de uma lei completamente estapafúrdia e esdrúxula do TSE, mas acho que deram um pouco de tiro no pé. É importante dizer que o TSE é uma coisa completamente anacrônica no Brasil […] Todos já estão em campanhas explícitas, a única coisa que não se pode fazer é pedir voto – apontou Adrilles.

Adrilles havia sido demitido no dia 9 de fevereiro, na esteira da polêmica iniciada pelo podcaster Bruno Aiub, o Monark. Ao encerrar sua fala em uma atração da Jovem Pan, o escritor levou a mão à altura da cabeça. Nas redes sociais, usuários apontaram semelhança com a saudação nazista “sieg heil”, utilizada durante o período do Terceiro Reich alemão.

À época, o comentarista afirmou ser vítima da “cultura do cancelamento” e negou que tenha feito uma saudação. Ele disse que o aceno era recorrente em suas participações no programa e que se tratava de um “tchau”.

Recentemente, Adrilles disse ao site NaTelinha que seu retorno à emissora representa o reconhecimento, por parte da empresa, de que seu suposto “cancelamento” foi “absolutamente covarde e absurdo”.

Leia também1 Adrilles promete processar todos os que o "chamaram de nazista"
2 Fachin diz que levará caso do Lollapalooza ao plenário do TSE
3 PT vai ao TSE contra proibição de "atos políticos" no Lollapalooza
4 Juiz nega indenização para jovem que processou o SBT por piada sobre cabelo crespo
5 Ex-procurador da Lava Jato processa a CNN por fake news

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.