Leia também:
X Ciro critica Lula por fala sobre a Ku Klux Klan e 7 de Setembro

Em dois dias, pesquisas em São Paulo divergem em 17 pontos

Ipec dá vantagem de 16 pontos para Lula, enquanto Quaest aponta Bolsonaro na dianteira por um ponto

Gabriel Mansur - 09/09/2022 14h54 | atualizado em 13/09/2022 17h26

 

Bolsonaro e Lula são os principais postulantes ao Palácio do Planalto Arte: Pleno.News // Fotos: Isac Nóbrega/PR e Ricardo Stuckert

Alvo de críticas por parte do presidente Jair Bolsonaro (PL) e seus apoiadores, as pesquisas de intenções de voto têm mostrado resultados contraditórios nos últimos dias, servindo de combustível para questionamentos de alguns grupos sobre a eficácia desse tipo de levantamento. Ao passo que o primeiro turno das eleições gerais vão se aproximando – faltam 23 dias – , dois dos principais institutos, Genial/Quaest e Ipec (ex-Ibope), divergiram em quase 20 pontos percentuais num período de 72 horas.

A diferença entre os principais postulantes ao Palácio do Planalto chamou atenção no estado de São Paulo, maior colégio eleitoral do país. Em levantamento do Ipec, divulgado na segunda-feira (5), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aparecia na liderança, com 44%, ante 28% do presidente Jair Bolsonaro (PL). Isto é, uma vantagem de 16 pontos percentuais a favor do petista.

Na quarta-feira (7), ou seja, dois dias depois, a estimativa do Genial/Quaest apontou um empate técnico, mas com o candidato à reeleição numericamente na frente, com 37%, frente a 36% do petista. Os dois resultados fazem parte do cenário estimulado, em que o entrevistador apresenta uma lista de candidatos ao eleitor, e se contrapõem em 17 pontos.

Ipec e Genial/Quaest utilizam metodologia semelhante, com entrevistas presenciais. Outra semelhança entre ambos foi o período quase igual em que foram a campo. Encomendada pela Globo, a pesquisa Ipec realizou a sondagem de 3 a 5 de setembro. A Genial/Quaest, de 2 a 5 de setembro. Ambas foram realizadas, portanto, antes dos atos pela Independência, no dia 7.

O QUE EXPLICA?
Procurado pelo site Metrópoles, o instituto de pesquisa Quaest enviou uma declaração sobre a metodologia utilizada nas pesquisas. No documento, a empresa frisa que “diferentes institutos têm diferentes metodologias. Cada uma das maneiras de coleta tem vantagens e desvantagens”.

Já o Ipec informou, por meio de nota, “que isso ocorre em função da metodologia aplicada, do período de campo e também do questionário adotado”.

Leia também1 STF julga novo piso salarial da enfermagem a partir desta sexta
2 TSE manda apagar fake news de André Janones sobre Bolsonaro
3 Posse de Rosa Weber pode ter reencontro de Bolsonaro e Lula
4 Jair Bolsonaro ironiza Lula ao rebater menção a Ku Klux Klan
5 Instituto Paraná: Tarcísio abre sobre Garcia e cola em Haddad

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.