Leia também:
X Veja Flordelis no julgamento da morte do pastor Anderson

Em 1° post após eleições, Carlos Bolsonaro critica censura

Vereador recuperou publicação sobre o tema após suspensão de mais perfis de apoiadores de Bolsonaro

Thamirys Andrade - 07/11/2022 12h00 | atualizado em 07/11/2022 13h52

Vereador Carlos Bolsonaro Foto: Câmara Municipal do Rio de Janeiro/Renan Olaz

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) se pronunciou pela primeira vez após o resultado das eleições presidenciais. Em postagem no Twitter nesta segunda-feira (7), ele resgatou uma publicação que fez em outubro em relação à censura.

– Um regime de censura nunca começa de forma absoluta, mas com uma suposta boa causa que lhe dê legitimidade. Por isso os primeiros alvos sempre são grupos que já passaram por um intenso processo de marginalização, cujo silêncio acaba sendo considerado até um favor à “democracia” – diz o texto.

O parlamentar também completou dizendo que “o problema é que depois que perseguir alguns se torna legítimo, perseguir outros se torna questão de tempo e oportunidade!”.

– Fica clara a diferença entre quem rebate mentiras/ataques com palavras, sejam elas duras ou não, e quem cala e persegue aqueles que não rezam a sua cartilha – concluiu.

O vereador recuperou as declarações após o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, determinar a suspensão das redes sociais do ex-candidato a vice-presidente na chapa de Soraya Thronicke, Marcos Cintra (União Brasil), e dos deputados Major Vitor Hugo (PL-GO) e Coronel Tadeu (PL-SP).

Leia também1 Nome de Haddad é cotado para assumir o Ministério da Fazenda
2 Ex-ministros do PT e aliados de Alckmin são cotados para Saúde
3 Musk diz que analisará caso de censura do Twitter no Brasil
4 Meta: Rótulo desatualizado das eleições foi falha técnica
5 “Amor à liberdade”, diz Regina Duarte sobre ato por intervenção

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.