Leia também:
X Eduardo rebate venezuelano que criticou Jair Bolsonaro

Eduardo Paes faz piada e fala em proibir cerveja a não vacinados

Prefeito do Rio comentou sobre a decisão de Quebec de restringir a venda de bebidas alcoólicas e de maconha a não vacinados

Pierre Borges - 12/01/2022 15h23 | atualizado em 12/01/2022 15h59

Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, brincou sobre a possibilidade de proibir a venda de cerveja a não vacinados contra a Covid-19, na capital do RJ. Por meio das redes sociais, Paes repercutiu uma notícia sobre a província canadense de Quebec, que proibiu a venda de maconha e de bebidas alcoólicas a quem não se vacinar contra a Covid-19.

No Twitter, o prefeito compartilhou a notícia com o título Québec proíbe maconha e álcool para não vacinados, e busca por vacina sobe 300%. Na publicação, ele escreveu em tom de brincadeira que está “pensando em pegar esse bonde e proibir o Litrão (uma gelada) pra eles aqui, no Rio!”

Até esta terça-feira (12), a rede pública do Rio de Janeiro tinha 141 pacientes internados com Covid-19. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, apenas 7% dos casos são de pessoas que completaram o esquema vacinal, enquanto 43% são de pessoas que não receberam nenhuma dose de vacina anticovid.

Na capital carioca, 81,3% da população recebeu duas doses de vacina ou imunizante de dose única contra a Covid-19. Enquanto isso, a dose de reforço já alcançou 28,3% da população.

Leia também1 Eduardo rebate venezuelano que criticou Jair Bolsonaro
2 SP: Governo recomenda redução de 70% de público nos estádios
3 Bolsonaro relembra Battisti: 'De terrorismo o Barroso entende'
4 Exclusivo! Pesquisa que aponta vitória de Lula em 1° turno foi paga por banco que já foi citado em delação premiada
5 Mendonça cobra de Congresso e Presidência dados do "fundão"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.