Leia também:
X Justiça suspende reabertura do comércio no interior de SP

Eduardo comenta possível ligação entre Adélio e Jean

Segundo site, conhecido de Adélio disse para a PF que ele mantinha contato com ex-deputado do PSOL

Ana Luiza Menezes - 27/04/2020 23h22 | atualizado em 27/04/2020 23h36

Deputado Eduardo Bolsonaro Foto: Reprodução

Nesta segunda-feira (27), o deputado Eduardo Bolsonaro usou as redes sociais para comentar uma possível ligação entre a Adélio Bispo e o ex-deputado do PSOL, Jean Wyllys. Em uma publicação, ele expôs a trajetória do homem que deu uma facada em Jair Bolsonaro.

– 2007 Adélio se filia ao PSOL; 6/8/13 Adélio entrou na Câmara (não se divulgou para o gabinete de qual deputado foi); 6/9/18 facada; 24/1/19 após reeleito, Jean Wyllys se muda para Europa e abandona o mandato; 27/4/20 conhecido de Adélio diz a PF que ele mantinha contato com Jean Wyllys – escreveu o parlamentar.

Publicação do deputado Foto: Reprodução

Eduardo também citou informações divulgadas pelo site Renews, sobre um depoimento de Luciano Carvalho de Sá à Polícia Federal, nesta segunda-feira. Conhecido como Mergulhador, Luciano defende que Adélio mantinha ligações com Jean.

Jean Wyllys está sendo financiado por bilionário esquerdista Foto: Reprodução

Luciano participou, no domingo (26), de uma live com o jornalista Oswaldo Eustáquio e disse que Adélio não é “maluco”, contrariando o inquérito da PF, que considerou Adélio como alguém que sofre de problemas mentais.

Segundo site, Adélio e Luciano se conheceram durante uma manifestação em Florianópolis Foto; Reprodução

Leia também1 Eduardo nega interesses na PF ou no Ministério da Justiça
2 Bolsonaro usa a Bíblia para mandar recado a desafetos
3 André Mendonça é convidado por Bolsonaro para a Justiça
4 Bolsonaro desafia Moro a "comprovar acusação grave"
5 Bolsonaro estende segurança de Moro por mais 6 meses

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.