Leia também:
X ‘Nosso inimigo é preço do feijão, da gasolina, da luz’, diz Pacheco

“Ninguém precisa temer o 7 de setembro”, destaca Bolsonaro

Presidente também disse que o país está em paz

Pleno.News - 02/09/2021 18h53 | atualizado em 02/09/2021 20h12

Presidente Jair Bolsonaro Foto: PR/Isac Nóbrega

Nesta quinta-feira (2), o presidente Jair Bolsonaro ironizou a fala do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, que avisou estar “atento e vigilante” pela manutenção da “plenitude democrática”.

– Hoje, eu ouvi rapidamente o ministro Fux, no início da sessão [do STF], dizendo que não pode haver democracia sem respeitar a Constituição. ‘Palmas’ para o ministro Fux. Realmente, não pode ter democracia se não respeitarmos a Constituição em todos os seus artigos, principalmente, o artigo 5º, o direito de ir e vir, o direito ao trabalho, o direito a ter uma religião, a liberdade de expressão. Imagine dentro de nossas casas, se um casal começasse um a censurar o outro. Vai destruir a família. O nosso Brasil é o ajuntamento dessa famílias. Família sadia, país sadio – declarou Bolsonaro.

Ele discursou durante uma solenidade realizada no Palácio do Planalto, e também disse que “o Brasil está em paz”.

– Alguém já me viu brigando com algum Poder, alguma instituição? O Brasil está em paz, no meu entender. Está faltando uma ou outra autoridade reconhecer que extrapolou e trazer a paz para o Brasil.

Bolsonaro disse que não está “organizando nada” para o feriado, e assegurou que está “sendo convidado”. Ele destacou que “ninguém precisa temer o 7 de setembro”.

– Ninguém precisa temer o 7 de setembro. Pretendo ocupar um carro de som na [Avenida] Paulista, que deve ter umas 2 milhões de pessoas. Ao que tudo indica, vai ser um recorde de pessoas – falou.

O chefe do Executivo também aproveitou para ironizar o ministro do STF, Alexandre de Moraes.

– Duvido quem seja mais criticado do que eu nas mídias sociais. Mexem com gente da minha família quase que o tempo todo. Não é por isso que vou começar a tomar providência para calar essa pessoa. Como já disse o nosso ministro Alexandre de Moraes, há pouco tempo: ‘quem não quer ser criticado fique em casa’. Parabéns, Alexandre de Moraes.

Ele defendeu que não se pode usar da posição política institucional para praticar censura.

– Não podemos nós, usar da força do poder que nós temos para censurar quem quer que seja, para desestabilizar a nação, para acirrar os ânimos. Ou somos democratas ou não somos. Essa liberdade é importante para todos nós – destacou Bolsonaro.

O presidente ressaltou que, assim como conversa com um ministro da Esplanada quando há problema, o mesmo deveria ser feito por integrantes da Corte em relação a Moraes.

– Todos os poderes são importantes. Quando um do meu ministério está dando problema, como já tive, chama, conversa e nos acertamos. Quando um da Câmara, do Senado está dando algum problema, é comum o líder partidário, o presidente da Câmara chamar para conversar. Quando um do STF começa a dar problemas, com toda certeza, o presidente ou seus pares devem conversar com ele. Porque alguns de nós, somos humanos, extrapolamos. Não podemos ficar refém de um do parlamento, um do Executivo ou um do Supremo Tribunal Federal. Essa é a harmonia. E a palavra em voga, né: liberdade.

Leia também1 CPI da Covid quer convocar Jair Renan e ex-mulher de Bolsonaro
2 Senador consegue assinaturas para abrir CPI dos governadores
3 STF pode derrubar vetos de Bolsonaro à lei que acaba com a LSN , diz colunista
4 Bolsonaro sanciona, com vetos, texto que substitui LSN
5 Renan ironiza nome do filho 04 de Bolsonaro: 'Homenagem'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.