Leia também:
X Devido a Moraes, Allan aciona Comissão de Direitos Humanos

“Doeu no coração ver Daniel Silveira preso”, diz Bolsonaro

A declaração foi dada pelo presidente durante um evento no Palácio do Planalto

Henrique Gimenes - 09/12/2021 15h15 | atualizado em 09/12/2021 15h54

Presidente Jair Bolsonaro ao lado do deputado Daniel Silveira Foto: Arquivo Pessoal

Nesta quinta-feira (9), o presidente Jair Bolsonaro disparou críticas contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e contra decisões do ministro Alexandre de Moraes.

Sem citar o nome o nome do magistrado, Bolsonaro criticou a prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) e a abertura de um inquérito por uma declaração sobre a vacina da Covid-19 e a Aids.

As declarações foram feitas pelo chefe do Executivo federal no Palácio do Planalto, durante um evento pelo Dia Nacional contra a Corrupção.

Ao falar sobre o caso de Silveira, Bolsonaro disse que “doeu no coração” ver o deputado preso.

– Eu não posso entender um parlamentar ficar preso durante sete meses. E se errou, como todos nós podemos errar, a pena jamais seria essa. Qual o limite de certas pessoas no Brasil? Qual o limite dessas pessoas? Doeu no coração ver um colega preso. Será que queriam que eu tomasse medidas extremadas? Como é que ficaria o Brasil perante o mundo? Possíveis barreiras comerciais, problemas internos – apontou.

Já sobre a live, Bolsonaro disse que apenas leu uma reportagem falando sobre a associação entre a Covid e o HIV.

– A que ponto chegamos. Abriram um inquérito por conta de uma live. Eu li um material que falava com relação de HIV com Covid. A que ponto nós chegamos? Será que vão querer bloquear as minhas mídias sociais? A mídia social que mais interage no mundo? Vão querer quebrar uma perna minha? Isso é democracia? Não é. Mas isso é jogar fora das quatro linhas. Por favor, não extrapolem – ressaltou.

O presidente ainda falou sobre o pedido de extradição do jornalista Allan dos Santos e disparou críticas contra a imprensa.

– Nós temos acordo de extradição com alguns países. Mas está escrito o que é que você pode pedir a extradição ou concedê-la. Aqui se acha que, [por] qualquer motivo, me chamou de feio, de narigudo, de barrigudo, eu posso agora pedir a extradição dessa pessoa. Não é assim que funciona. Ou todos nós impomos o limite para nós mesmos, ou pode ter crise no Brasil. Apesar da grande mídia me acusar de provocar, agredir… não tem agressão minha. Eu levo 50 tiros de [arma de calibre] 762 [e], quando dou um de [arma de calibre] 22, estou provocando – destacou.

Leia também1 Bolsonaro critica decisões de Moraes: "Isso é democracia?"
2 'Discriminação', diz Queiroga sobre passaporte da vacina
3 Bolsonaro sobre Time: “Vai para mim aquele prêmio ou não?”
4 Âncora da CNN anuncia Jair Bolsonaro na Time com deboche
5 Moro diz que prefere ser atacado por Bolsonaro a ser seu cúmplice

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.