Leia também:
X Lira culpa Maia por atraso na aprovação do Orçamento

Dissertação de mestrado da nova presidente da Capes tem plágio

Desde outros acadêmicos até páginas da Wikipédia foram plagiadas

Pierre Borges - 19/04/2021 13h07 | atualizado em 20/04/2021 13h09

Cláudia Queda de Toledo, nova presidente da capes
Cláudia Queda de Toledo, nova presidente da capes Foto: Reprodução

Nomeada na última sexta-feira (19) para a presidência da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Cláudia Queda de Toledo copiou, em sua dissertação de mestrado, trechos de outros autores sem citá-los devidamente, configurando plágio.

Na tese O Ensino Jurídico no Brasil e o Estado Democrático de Direito, é possível encontrar trechos plagiados desde outros acadêmicos até páginas da Wikipédia, ora de forma integral, ora com alterações sutis na escrita.

O jornal O Globo identificou pelo menos três trechos plagiados no artigo.

1. Na página 43 de sua tese apresentada em 2008 na PUC-SP, Cláudia Queda de Toledo escreveu o seguinte trecho:

“Em sentido etimológico, projeto vem do latim, projectu, particípio passado do verbo projicere, que significa lançar para diante. Plano, intento, desígnio. Empresa, empreendimento. Assim, ao se construir um projeto pedagógico, estar-se-á planejando o que se tem intenção de fazer, de realizar, ou ainda, de revelar em seus envolvidos, sejam eles: discentes, docentes, comunidade e sociedade. Na verdade, realizar um projeto, é antever um futuro diferente do presente.”

Entretanto, oito anos antes, a Revista Latino Americana de Enfermagem publicou o artigo Contribuição à Construção de Projetos Políticos-Pedagógicos na Enfermagem, de Rosita Saupe e Elioenai Dornelles Alves, contendo o seguinte texto:

“No sentido etimológico, o termo projeto vem do latim projectu, particípio passado do verbo projicere, que significa andar para diante. Tem também o sentido de plano, intento, desígnio, empresa, empreendimento (Ferreira, 1975, p. 1144). Ao construirmos os projetos de nossas escolas ou nossos serviços, planejamos o que temos intenção de fazer, de realizar. Lançamo-nos para diante, com base no que temos, buscando o possível. É antever um futuro diferente do presente”.

2. Já na página 86 de sua dissertação, a nova presidente da Capes escreveu sobre a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), dizendo que:

“Assim, o texto aprovado em 1996 resultou de um longo embate, que durou cerca de oito anos, entre duas propostas distintas. A primeira conhecida como Projeto Jorge Hage foi o decorrente de uma série de debates abertos com a sociedade, organizados pelo Fórum Nacional em Defesa da Escola Pública, sendo apresentado na Câmara dos Deputados. A segunda proposta foi elaborada pelos senadores Darcy Ribeiro, Marco Maciel e Maurício Correa.”

Mas o plágio fica evidenciado ao compararmos este com o texto da Wikipédia arquivado em 2006:

“O texto aprovado em 1996 é resultado de um longo embate, que durou cerca de oito anos (1988-1996), a partir da XI ANPED, entre duas propostas distintas. A primeira conhecida como Projeto Jorge Hage foi o resultado de uma série de debates abertos com a sociedade, organizados pelo Fórum Nacional em Defesa da Escola Pública, sendo apresentado na Câmara dos Deputados. A segunda proposta foi elaborada pelos senadores Darcy Ribeiro, Marco Maciel e Maurício Correa em articulação com o poder executivo através do MEC.”

Neste caso, o nome do, então senador, Maurício Corrêa está escrito sem acento nos dois textos, pois nem mesmo este erro foi alterado durante a cópia.

3. Na mesma página do artigo acadêmico, Cláudia afirma que:

“A principal divergência era em relação ao papel do Estado na educação. Enquanto a proposta dos setores organizados da sociedade civil apresentava uma grande preocupação com mecanismos de controle social do sistema de ensino, a proposta dos senadores previa uma estrutura de poder mais centrada nas mãos do governo. Apesar de conter alguns elementos levantados pelo primeiro grupo, o texto final da LDB se aproxima mais das idéias levantadas pelo segundo grupo.”

Mas o plágio pode ser percebido ao compararmos este com outro trecho da Wikipédia, publicado também em 2006. O trecho do site diz que:

“A principal divergência era em relação ao papel do Estado na educação. Enquanto a proposta dos setores organizados da sociedade civil apresentava uma grande preocupação com mecanismos de controle social do sistema de ensino, a proposta dos senadores previa uma estrutura de poder mais centrada nas mãos do governo. Apesar de conter alguns elementos levantados pelo primeiro grupo, o texto final da LDB se aproxima mais das ideias levantadas pelo segundo grupo.”

A PUC-SP se manifestou sobre o caso em uma nota afirmando “que Cláudia Mansani Queda de Toledo foi aluna regularmente matriculada de mestrado, tendo defendido sua dissertação em 2008. Até o presente momento, a PUC-SP não recebeu nenhum questionamento sobre qualquer atividade da egressa na Universidade.

Em seus 75 anos de história, a PUC-SP preza pela excelência acadêmica da produção de seus discentes. A Universidade não compactua com eventuais posturas ou ações que estejam fora da regularidade.”

OUTROS EMBARGOS
Cláudia Queda de Toledo dirigia, até a última semana, uma instituição que foi descredenciada pela própria Capes em 2017, o Centro Universitário Bauru.

Leia também1 Lira culpa Maia por atraso na aprovação do Orçamento
2 Gentili diz que políticos temem que ele realmente seja candidato
3 Helicóptero da Nasa faz voo histórico em Marte. Imagens!
4 STF: Senado tem 10 pedidos de impeachment contra ministros
5 Atriz Benner Jacks, da peça Rua Azusa, é intubada com Covid-19

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.