Leia também:
X Covid-19: Familiares oram de joelhos diante de hospital de SC

Dino e Costa vão ao STF para excluir postagem de Bolsonaro

Dupla pede que publicação sobre repasses de verba aos estados seja excluída ou corrigida

Paulo Moura - 04/03/2021 14h01 | atualizado em 04/03/2021 15h44

Flávio Dino e Rui Costa entraram com processo contra Bolsonaro Foto: Reprodução

Os governadores do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e da Bahia, Rui Costa (PT), protocolaram na última terça-feira (2) uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente Jair Bolsonaro, por conta uma postagem feita pelo chefe do Executivo federal no Twitter. Os dois pedem que uma publicação sobre repasses de verba aos estados seja excluída ou corrigida.

No último dia 28 de fevereiro, o presidente divulgou os valores repassados a cada estado em 2020. Os valores não são apenas aqueles destinados ao enfrentamento da pandemia, mas também a outras áreas da administração pública. Segundo o pedido dos governadores, o presidente busca desinformar e gerar equívocos.

Os dois gestores afirmam ainda que contas de órgãos oficiais do governo federal repostaram a mensagem de Bolsonaro. Segundo eles, o dinheiro público foi utilizado para a produção de informações distorcidas e para atacar governos locais.

– Ingressamos no STF, junto com a Bahia, contra fake news divulgada pelo governo federal sobre repasses de recursos aos estados. Queremos debater judicialmente se é compatível com a Constituição e o Estado de Direito o uso doloso e reiterado de mentiras como ferramenta política – escreveu Flávio Dino em suas redes.

Também na terça, o presidente Jair Bolsonaro justificou que as informações sobre repasses financeiros feitos a estados e municípios mostram uma “verdade”. Bolsonaro disse que o governo não quer “provocar ninguém” e atribuiu ao ministro das Comunicações, Fábio Faria, a divulgação dos números.

– Ali é o bruto que receberam, transferências diretas e indiretas, auxílio emergencial. [É] O valor bruto que está ali. Não queremos provocar ninguém. Os dados foram feitos pela Secom. Fábio Faria, que é ministro, divulgou aquilo lá. E é uma verdade que está ali. Nada mais além disso – declarou o líder.

Leia também1 Papa Francisco diz que irá como "peregrino da paz" para o Iraque
2 Hospital no DF é condenado após confundir AVC com embriaguez
3 Hang e Carlos Wizard se reúnem para discutir compra de vacinas
4 Venezuela registra 10 casos da variante brasileira da Covid-19
5 Ex-reitor é advertido por fazer ofensas ao presidente Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.