Leia também:
X Com tom otimista, Bolsonaro diz que estará de volta “em breve”

Deputados do PSL votam contra “Fundão” e são alvo de fake news

Parlamentares esclareceram que o partido se posicionou de forma contrária ao acréscimo de 185% na verba

Paulo Moura - 16/07/2021 12h08 | atualizado em 16/07/2021 14h59

Parlamentares do PSL foram alvo de fake news Foto: Reprodução

Deputados da base do presidente Jair Bolsonaro viraram alvo de uma série de ataques da oposição e de veículos de mídia por conta da votação do aumento do “Fundão”, como é chamado o Fundo Eleitoral, depois de o Congresso Nacional aprovar o acréscimo de 185% no valor, que pode saltar de R$ 2 bilhões para R$ 5,7 bilhões, como parte da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2022.

Os opositores acusaram apoiadores próximos ao presidente Jair Bolsonaro, como as deputadas Bia Kicis (PSL-DF), Carla Zambelli (PSL-SP), Caroline de Toni (PSL-SC), e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), de votarem a favor do acréscimo do valor. Os parlamentares, porém, esclareceram que se posicionaram contra a medida durante a tramitação da LDO.

De acordo com os deputados, o imbróglio em relação ao aumento ocorreu durante a votação dos destaques, que, segundo os parlamentares, acabou sendo feita por meio de votação simbólica (quando não há manifestação individual dos parlamentares). A escolha, chamada pelos membros do PSL de “manobra”, facilitou a aprovação do aumento da verba.

PARLAMENTARES ESCLARECEM QUESTÃO NAS REDES
Em um vídeo, a deputada Carla Zambelli rebateu as críticas afirmando que votou sim em relação “ao texto principal da LDO”. Segundo ela, como base do governo, era preciso aprovar o orçamento, pois seria de uma grande irresponsabilidade deixar o país sem a LDO. Zambelli ressaltou, porém, que foi contrária ao aumento do Fundão.

– É um texto gigante. Mas, como a gente não concordava com essa parte do fundão, a gente orientou a favor do destaque do Novo [partido], que pegava do texto completo a parte que falava sobre fundo eleitoral e destacava – explicou.

O destaque citado por Zambelli, de autoria do Novo, buscava evitar o aumento das verbas do financiamento eleitoral. Em votação simbólica, porém, a tentativa de barrar o acréscimo acabou sendo rejeitada pelo Congresso. A parlamentar ressaltou que sempre foi contra a utilização de dinheiro público em campanha.

Kicis, por sua vez, publicou nas redes sociais sua declaração de voto, item previsto no artigo 45 do Regimento Comum do Congresso, onde também constava o apoio ao destaque do Novo, o que, na prática, representava o voto contrário ao aumento do Fundão.

– Atenção! Votei contra o aumento do Fundão! Aqui minha declaração de voto como [está] previsto no art. 45 do Regimento Comum do Congresso. Minha digital está aí. A favor da LDO, de forma muito responsável e a favor do destaque 12 [do Novo], contra o Fundão de 6 bilhões – escreveu Kicis.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Bia Kicis 🧿 (@biakicis)

Também pelas redes sociais, a deputada Caroline de Toni detalhou os fatos que aconteceram durante a votação e, assim como Kicis, publicou sua declaração de voto, onde se posicionou a favor do destaque do Novo, como foi orientado pelo PSL.

– Pra ficar mais claro ainda: eu estou, sim, dizendo que votei contra o Fundão. A orientação do PSL na votação simbólica valeu de fato. O processo da votação simbólica é definido pelo Regimento Interno da Câmara nos termos da imagem ao lado. Eu votei a favor do texto-base da LDO. Mas, no destaque sobre o Fundão, fui, sou e continuarei sendo contra! – declarou.

A exemplo de Zambelli, Eduardo também fez um vídeo e postou-o nas redes sociais esclarecendo a questão. Na publicação, o deputado ressaltou que o líder do partido na Câmara, General Peternelli (PSL-SP), deixou claro que a legenda era contrária ao aumento do Fundão. O parlamentar ainda repudiou a publicação de alguns veículos de imprensa atribuindo a ele o voto favorável ao aumento do fundo.

– [Quero] Dizer para essas imprensas que estão querendo dizer que eu votei a favor desse Fundão, porque eu votei na LDO inteira, o que inclui saúde, segurança e educação, que isso é uma baita canalhice – completou.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Eduardo Bolsonaro🇧🇷 (@bolsonarosp)

Leia também1 LDO triplica fundo eleitoral para 2022 e valor beira os R$ 6 bilhões
2 Vice-presidente da Câmara diz que Eduardo é 'irresponsável'
3 Promotoria apura internação de Olavo de Carvalho no InCor
4 Bolsonaro critica cúpula da CPI e chama grupo de "três otários"
5 Oposição ingressa no STF contra lei da privatização da Eletrobras

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.