Leia também:
X Renan Calheiros quer avaliação psiquiátrica em Bolsonaro

Deputada diz que Bolsonaro usa ‘doença’ como cortina de fumaça para CPI

Parlamentar petista declarou que presidente se "vitimiza" para angariar "saldos eleitorais"

Pleno.News - 16/07/2021 13h09 | atualizado em 16/07/2021 13h48

deputada nathalia bonavides
Deputada federal Natália Bonavides Foto: Reprodução

Em live na quinta-feira (15), a deputada federal Natália Bonavides (PT-RN) disse que o presidente Jair Bolsonaro faz “uso político” das suas complicações de saúde. Após classificá-lo como “assassino em massa”, a parlamentar o criticou por publicar uma foto de si mesmo no hospital, durante seu tratamento contra uma obstrução gástrica, e por ligar o PSOL e o PT ao atentado de 2018, em post no Twitter.

– A forma como eles estão politizando a doença é um gesto, uma tentativa de trazer cortina de fumaça para as denúncias que estão acontecendo na CPI. Não estou dizendo isso (que ele está mentindo sobre a condição de saúde), mas tem várias formas de tratar, politicamente, uma doença, uma internação – declarou Bonavides em entrevista ao Diário do Centro do Mundo.

De acordo com a deputada, o presidente se “vitimiza” e usa sua condição de saúde para angariar votos.

– Ele não optou por se tratar discretamente, tranquilamente. Optou por abrir guerra contra a esquerda, fazer essa vinculação, se vitimizar. Ele faz isso pela própria experiência do que aconteceu na eleição, de ele ter visto que o fato da facada trouxe saldos eleitorais para ele. Ele busca isso novamente – assinalou.

Leia também1 Com tom otimista, Bolsonaro diz que estará de volta "em breve"
2 Renan Calheiros quer avaliação psiquiátrica em Bolsonaro
3 Bolsonaro critica cúpula da CPI e chama grupo de "três otários"
4 Oposição ingressa no STF contra lei da privatização da Eletrobras
5 Ao lado de Bolsonaro, médico diz que cirurgia está afastada

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.