Leia também:
X Empresa de ônibus ligada ao PCC tem acerto com prefeitura de SP

Depois de decisão do TRE, Moro decide se candidatar no Paraná

Ex-juiz diz que pode ser lançado a deputado federal, senador ou mesmo governador

Thamirys Andrade - 08/06/2022 09h30 | atualizado em 08/06/2022 09h41

Ex-ministro da Justiça, Sergio Moro Foto: EFE/ Joédson Alves

Diante da decisão do TRE/SP que impossibilitou a candidatura do ex-juiz Sergio Moro (União Brasil) em São Paulo, o ex-ministro da Justiça agora concorrerá às eleições no Paraná, seu estado de origem. O ex-magistrado poderia recorrer à decisão da Corte, mas optou por aceitá-la e definir sua vida política.

Segundo informações do colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, Moro tem feito mistério sobre qual cargo disputará. A interlocutores, ele afirma que pode se lançar como deputado federal, senador ou mesmo governador.

Desde que deixou o Podemos e migrou para o União Brasil, tendo sua candidatura presidencial barrada pelo partido, Moro era cotado para o Senado em São Paulo. Entretanto, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo decidiu rejeitar a transferência de domicílio eleitoral de Moro, que é natural do Paraná.

Na noite desta terça-feira (7), o ex-juiz se manifestou nas redes sociais, dizendo estar surpreso.

– Recebi surpreso a decisão do TRE de São Paulo na ação proposta pelo PT. Nas ruas, sinto o apoio de gente que, como eu, orgulha-se do resultado da Lava Jato e não desistiu de lutar pelo Brasil. Anunciarei em breve meus próximos passos. Mas é certo que não desistirei do Brasil – escreveu.

Leia também1 "Recebi surpreso a decisão do TRE de São Paulo", diz Moro
2 Bolsonaro indica Carlos Portinho como líder governista no Senado
3 Randolfe vai à Justiça para parar a privatização da Eletrobras
4 Lira quer "pressão máxima" na Petrobras para reduzir preços
5 STF: 2ª Turma barra suspensão da cassação de Francischini

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.