Leia também:
X “Adorei comportamento do Bonner”, diz Lula em ato no Rio

Delegados da PF denunciam Moraes por ‘abuso de autoridade’

Grupo é formado por mais de cem investigadores

Thamirys Andrade - 26/09/2022 10h02 | atualizado em 26/09/2022 11h25

Ministro Alexandre de Moraes, presidente do TSE Foto: LR Moreira/Secom/TSE

Um grupo formado por 131 delegados da Polícia Federal apresentou uma notícia-crime no Ministério Público Federal (MPF) contra o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), e Fábio Alvarez Shor, delegado da Diretoria de Inteligência da PF. Eles afirmam que há indícios de abuso de autoridade na operação contra empresários alinhados ao presidente Jair Bolsonaro (PL), acusados de defender um golpe de Estado em um grupo de WhatsApp.

De acordo com informações dos colunistas Mirelle Pinheiro e Carlos Carone, do portal Metrópoles, o documento sustenta que os argumentos utilizados pelo ministro para deflagrar a ação são “inacreditáveis”.

O texto enfatiza ainda que, para que haja atentado contra o Estado Democrático de Direito, deve se pressupor “violência ou grave ameaça (grifos), como prevê o artigo 359-M do Código Penal. Ora, inexistiu a violência! Quanto à grave ameaça, essa não saiu do campo da cogitação. Portanto, inexistente”.

O texto ainda pontua que há “nítido caráter político-partidário” e falta de imparcialidade nas decisões recentes do magistrado. Assim, é solicitado que a PGR “adote as providências cabíveis” e que a investigação contra os empresários seja anulada.

Leia também1 Cármen Lúcia ordena remoção de outdoors pró-Bolsonaro no DF
2 Jair Bolsonaro faz live e critica decisão do TSE
3 Militante petista cospe em Zambelli, na Avenida Paulista
4 Lula diz que será ressarcido pelos processos da Lava Jato
5 Ciro diz que fará “importante pronunciamento” nesta 2ª feira

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.