Leia também:
X “Em um país onde a imprensa é regulada, democracia é mentira”

Defesa pede que TSE divulgue as sugestões das Forças Armadas

Documento com o pedido foi enviado pelo ministro Paulo Sérgio Nogueira para o ministro Edson Fachin

Henrique Gimenes - 05/05/2022 16h30 | atualizado em 05/05/2022 17h02

General Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, ministro da Defesa Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Nesta quinta-feira (5), o ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira, enviou um pedido ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que a Corte divulgue as propostas feitas pelas Forças Armadas para as eleições deste ano. O ofício foi encaminhado ao presidente do TSE, ministro Edson Fachin. A informação foi dada pelo site Poder 360.

No documento, Paulo Sérgio Nogueiro afirmou que a medida tem a “finalidade de cumprir obrigação legal e de conferir a maior transparência possível aos atos da gestão pública e em face da impossibilidade de ver concretizada a reunião solicitada por este Ministro a Vossa Excelência, venho, por meio deste expediente, propor a esse Tribunal que os documentos ostensivos relacionados à CTE sejam amplamente divulgados, conjuntamente, pelo Ministério da Defesa e por essa Corte Eleitoral, haja vista o amplo interesse público no tema em questão”.

“Aproveito o ensejo para reafirmar o compromisso das Forças Armadas em contribuir no que for necessário para a paz e para a segurança do pleito eleitoral, bem como com as suas missões previstas na Constituição Federal”, concluiu o ministro em seu ofício.

O documento pode ser visto aqui.

Leia também1 Lula faz pedido explícito de voto durante evento: "Votar no 13"
2 Doria, Ciro e Lula "encarnam" guerreiros jedis nas redes sociais
3 Brasil tem aumento de 2 milhões de eleitores entre 16 e 18 anos
4 General cobra do TSE medidas contra irregularidade na eleição
5 STF define lista tríplice para ministro substituto do TSE

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.