Leia também:
X Veja quem são as vítimas da tragédia ocorrida em Capitólio

Defensores pedem que ministério informe sobre ‘efeitos adversos da vacina em crianças’

Grupo enviou pedido com recomendações ao Ministério da Saúde

Henrique Gimenes - 09/01/2022 14h28

Defensores pedem que governo informe os pais sobre efeitos adversos da vacina em crianças Foto: EFE/Javier Roibás Veiga

Na sexta-feira (7), um grupo de defensores públicos da União, lotados em Goiás, decidiu enviar um pedido ao Ministério da Saúde para que a Pata dê publicidade a informações sobre a vacinação infantil contra a Covid-19. No texto, eles apresentam diversas recomendações sobre a imunização de crianças entre 5 e 11 anos de idade.

A ideia do grupo é alertar os pais e responsáveis de que “a Vacina COVID-19 COMINARTY/PFIZER ainda se encontra em fase experimental e que seu uso pode ocasionar miocardite e pericardite nas crianças, além de outras reações adversas que ainda não são conhecidas (informações contidas na bula do medicamento, mas que não é apresentada nos postos de vacinação)”, de acordo com o documento.

A vacina anticovid da Pfizer que será aplicada em crianças será diferente da utilizada em adultos e adolescentes. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), menores de 12 anos deverão receber doses com apenas um terço da quantidade aplicada no restante do público.

O pedido é assinado pelos defensores Danilo de Almeida Martins, João Frederico Bertran Wirth Chaibub, Cristina Gonçalves Nascimento, Jovino Bento Júnior e Julio Cesar de Queiroz.

Veja o requerimento aqui.

Leia também1 Presidente da Anvisa desafia Bolsonaro e 'cobra retratação'
2 Deputados reagem contra o passaporte vacinal de crianças
3 Apresentadora chora ao relatar morte de menina por Covid
4 Médico: "Haverá a necessidade de revacinação de crianças"
5 Globo ataca Bolsonaro por conta de falas sobre vacinação infantil

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.