Leia também:
X RJ: Ex-secretário vira réu por improbidade administrativa

Decreto de Bolsonaro mostrará porque o combustível está caro

Em sua live semanal, presidente falou sobre medida que manda postos exibirem composição de preços praticados

Henrique Gimenes - 25/02/2021 20h09 | atualizado em 25/02/2021 21h11

Presidente Jair Bolsonaro em sua live semanal Foto: Reprodução

Em sua tradicional live pelas redes sociais desta quinta-feira (25), o presidente Jair Bolsonaro falou sobre seu decreto que obriga os postos de combustíveis do país a informar a composição do valor cobrado nas bombas. Para ele, a medida servirá para o consumidor saber a quem cobrar pelos preços.

O decreto foi publicado nesta terça-feira (23) no Diário Oficial da União (DOU) e passará a valer em 30 dias. Entre as informações, o painel deverá informar: o valor médio regional do combustível no produtor ou no importador; o preço de referência usado para a cobrança do ICMS pelos estados; o valor do imposto; o valor do PIS/Cofins e da Cide, ambos cobrados pela União.

– Quando você chegar no posto daqui a 30 dias, estará lá o preço da gasolina, do diesel. E lá o preço na refinaria, e depois os impostos federais, estaduais. O custo, o preço da distribuição. E a margem de lucros dos postos – explicou o presidente.

Ele falou que as informações serão úteis para que o consumidor possa “reclamar”.

– Para que você, caso queira reclamar, reclame. Quer reclamar do presidente da República, reclame. Quer reclamar do governador, reclame. Ou da margem de lucro, das distribuidores, do posto. Para saber porque o combustível é caro no Brasil. Porque tudo o que acontece no Brasil o pessoal aponta para mim e atira – ressaltou.

Bolsonaro então falou sobre um PEC que tramita na Câmara que trata da imunidade parlamentar. Ele explicou não ter nada a ver com a medida e lamentou as criticas.

– São críticas que deixam a gente chateado, dado a ignorância de quem critica, sem saber o que está falando (…) Podemos ser criticados, mas com razão. E agora quem vai para a crítica muito violenta o que eu faço? Vou para o banimento. É o que eu posso fazer, um cartão vermelho logo para a ignorância dessa pessoa – concluiu.

Leia também1 Bolsonaro diz que Silva e Luna dará nova dinâmica à Petrobras
2 Bolsonaro decide tirar Fábio Wajngarten da Secom
3 Petrobras de hoje é melhor que a de há 1 ano, diz Castello Branco
4 Estatal tem que ter a sua 'visão de social', afirma Bolsonaro
5 Bolsonaro levanta possibilidade de criar MEI para caminhoneiros

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.