CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Caso Miguel: Sari é indiciada por abandono de incapaz

Decotelli mostra vínculo e diz que é professor na FGV

"Fake da FGV destruiu minha carreira no MEC", disse

Ana Luiza Menezes - 01/07/2020 19h17 | atualizado em 01/07/2020 19h25

Carlos Alberto Decotelli Foto: MEC/Luis Fortes

Nesta quarta-feira (1º), Carlos Alberto Decotelli divulgou placas de homenagens que ele recebeu como docente da Fundação Getúlio Vargas (FGV) . Ele enviou imagens ao jornalista Guilherme Amado, da revista Época, para desmentir a nota emitida pela instituição.

A FGV disse, por meio de uma nota, que Decotelli não era professor na instituição e que “atuou apenas nos cursos de educação continuada, nos programas de formação de executivos, e não como professor de qualquer das escolas da Fundação”. Nestes tipos de cursos, os professores atuam como pessoa jurídica.

Decotelli afirmou a postura da FGV destruiu sua chance de assumir o posto de ministro da Educação.

– Fake da FGV destruiu minha carreira no MEC – falou.

Uma das placas de homenagem que Carlos Alberto recebeu da FGV mostra uma mensagem de agradecimento.

Placa recebida por Decotelli na FGV Foto: Reprodução

Decotelli disse à Folha de S.Paulo que mesmo não sendo contratado fixo da instituição, mas que lecionou e ainda leciona lá.

– Estou com agendas de turmas na FGV. Ontem à noite, em respeito aos alunos da FGV, lecionei na pós-graduação de finanças, no horário entre 19h e 22h30. Ou seja, em 2020 trabalhei em várias turmas – disse ele, nesta quarta.

A presidente da Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup), Elizabeth Guedes, comentou o caso. Ela também disse à Folha de S.Paulo que a FGV foi covarde ao dizer que Decotelli não deu aulas na instituição.

– Ele coordena MBA e é professor lá, sim. Fazer diferença entre professores efetivos e colaboradores é uma piada – avaliou.

Elizabeth disse acreditar também que houve “aproveitamento político” diante de outros problemas apresentados no currículo de Decotelli. Ela questionou o silêncio do movimento negro.

– Quantos brancos já fizeram isso e não aconteceu nada? – cobrou.

Leia também1 Bolsonaro ordena devassa em currículos de candidatos ao MEC
2 Nota da FGV contradizendo Decotelli cravou demissão
3 Após polêmicas, Decotelli entrega carta de demissão
4 Bolsonaro vê "inadequações" em currículo de Decotelli
5 Decotelli explica doutorado e diz que seguirá no MEC

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo