Leia também:
X Provas de vida do INSS serão suspensas por mais dois meses

‘Decisão sobre Daniel Silveira foi dura, mas necessária’, diz Maia

Ex-presidente da Câmara também disse não ter pressa para escolher um novo partido

Pleno.News - 23/02/2021 14h47

Ex-presidente da Câmara, Rodrigo Maia Foto: Agencia Brasil/Marcelo Camargo

Em “live” do UOL, o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou que a decisão da Casa de manter a prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) foi “extrema e dura, mas tínhamos obrigação com o STF”. De acordo com Maia, era preciso colocar algum limite ou, nas eleições de 2022, discursos como o de Silveira seriam recorrentes.

– A decisão dura do Supremo, respaldada pela Câmara, foi uma decisão clara de que não vamos e não queremos caminhar pelos caminhos dos Estados Unidos – apontou o parlamentar, numa referência à invasão feita por radicais ao Capitólio.

Saída do DEM
Diante do conflito com o DEM às vésperas da eleição da Câmara e do Senado, Maia afirmou que, nas próximas semanas, irá fazer um “pedido de justa causa porque não tenho mais dez anos”.

– Quero continuar deputado e defender projetos de centro – afirmou o ex-presidente da Câmara.

O deputado também afirmou não ter pressa para escolher um novo partido.

– Estou conversando [com partidos]. Mas mais importante que o partido, é o projeto. Não estou com pressa para escolher partido. Não quero estar no partido em que o presidente fez acordo com Bolsonaro – afirmou em referência ao presidente do DEM, ACM Neto.

*Estadão

Leia também1 Conselho de Ética analisa casos de Silveira e Flordelis nesta terça
2 Daniel Silveira teria gravado conversas com Bolsonaro e Maia
3 Moraes afirma que prisão de Daniel Silveira foi um 'marco'
4 Prisão de Daniel Silveira: Placar de "11x0" é raridade no STF
5 "Ele [Silveira] é preso político. Repitam comigo, preso político"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.