Leia também:
X ‘A história vai dizer quem estava certo’, diz Bolsonaro

Debatedor acusa Bolsonaro de assassinato em massa na CNN

Durante debate com Caio Coppola, Marcelo Feller afirmou que presidente cometeu crimes por omissão

Henrique Gimenes - 15/07/2020 19h35 | atualizado em 16/07/2020 14h38

Durante o quadro Grande Debate, da CNN Brasil, o novo debatedor da emissora, Marcelo Feller, fez uma grave acusação contra o presidente Jair Bolsonaro: a de que ele teria cometido assassinato em massa por omissão durante a pandemia da coronavírus. A fala deixou o outro debatedor da atração, Caio Coppolla, indignado, e gerou críticas nas redes sociais.

A polêmica começou enquanto os debatedores discutiam a atuação de militares na política, até que o tema chegou ao Ministério da Saúde. Feller então acusou o presidente Jair Bolsonaro de ser omisso, o que levou Coppolla a argumentar.

– Olha o que você falou: “Não é um genocídio, é só um assassinato em massa por negligência”. Então você está acusando o presidente da República, em rede nacional, de ser um assassino por omissão? – questionou Caio Coppolla.

Após Marcelo Feller confirmar que era essa sua acusação e dizer que as pessoas se sentiam legitimadas pelas ações do presidente, Coppolla rebateu.

– Só por causa do presidente? Eles perguntaram aos mortos? (…) Isso aqui é um debate que tem que ter o mínimo de lastro na realidade. Agora ficar pegando esses estudos pseudocientíficos sem nexo de causalidade, acusando o presidente da República de assassinato por omissão em rede nacional, isso não é sério – apontou.

Leia também1 'A história vai dizer quem estava certo', diz Bolsonaro
2 Após novo exame, Bolsonaro ainda testa positivo para Covid
3 Wajngarten celebra venda de patrocínio do SBT para jogo
4 Moraes autoriza PF a acessar dados removidos do Facebook
5 Web defende Bolsonaro após críticas feitas por Felipe Neto

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.