Leia também:
X Bolsonaro diz que pode ter pego Covid-19 pela 2ª vez sem saber

Damares irá investigar vídeo em que líder do MBL fala de estupro

Ministra disse ter pedido a apuração à Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos. Em suas redes sociais, Renan Santos afirmou que processará Damares

Henrique Gimenes - 13/09/2021 15h14 | atualizado em 13/09/2021 15h52

Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves
Ministra da Mulher, da Família e ods Direitos Humanos, Damares Alves Foto: Reprodução/MMFDH

Após a divulgação de um vídeo em que Renan Santos, líder do Movimento Brasil Livre (MBL), fala em estupro, o assunto começou a circular nas redes sociais. E devido à repercussão do caso, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, pediu que a Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos investigue a gravação.

O vídeo, divulgado na noite de domingo (12), traz Renan Santos conversando com uns amigos e afirmando que, caso o grupo seja impedido de entrar no bar, a ativista Bárbara Tonelli seria estuprada. A gravação ocorreu em 2018.

– Se não formos permitidos de entrar, a Bárbara será estuprada – disse.

Diante da situação, Damares disse que, além de da investigação da Ouvidoria, irá pedir que o Ministério Público Federal (MPF) investigue a autenticidade da gravação.

– Estupro não é brincadeira! Já pedi atuação da Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos! Inadmissível isto! Não vamos permitir que estes jovens que se dizem tão politizados façam uma “brincadeira” desta – escreveu a ministra.

Já Renan Santos informou, em uma nota conjunta com Bárbara Tonelli, que o vídeo foi tirado de contexto e que o momento era uma “confraternização de amigos”. Além disso, ressaltou que “na ocasião, consumiam bebidas alcoólicas e faziam brincadeiras e piadas entre si”.

– Somos amigos há mais de sete anos, Nutrimos afeto e respeito mútuo. Jamais tivemos qualquer desavença por conta desse episódio, ocorrido há três anos, e seguimos amigos, por nos tratarmos de pessoas normais, que fazem piadas, erram e se arrependem – disseram os dois.

Em suas redes sociais, Renan Santos também disse que pretende processar a ministra.

– Pra ninguém falar bosta por aqui, eis a nota que eu e a Bárbara Tonelli redigimos sobre o vídeo, recortado e divulgado de forma criminosa pela ministra Damares Alves. Vamos processar a “ministra” pelos danos causados – escreveu.

Leia também1 Bolsonaro: “Minoria que foi às ruas ontem é digna de pena”
2 Mourão sobre atos do MBL: Muito aquém do que podia se esperar
3 Doria é cobrado sobre multa para líder do MBL sem máscara
4 Na Paulista, seguranças do MBL e de Doria se desentendem
5 Web ironiza baixa adesão em protestos e cria: #DerreteMBL

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.