Leia também:
X Com ciúmes, marido arranca dentes e corta orelha da esposa

Cúpula da CPI planeja “driblar” PGR para denunciar Bolsonaro

Augusto Aras tem 30 dias para dar um encaminhamento ao relatório final da CPI

Monique Mello - 11/10/2021 14h31 | atualizado em 11/10/2021 15h50

Cúpula da CPI da Covid Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

A cúpula da CPI da Covid já traçou uma estratégia para fazer com que suas denúncias contra o prsidente Jair Bolsonaro cheguem ao Supremo Tribunal Federal (STF) com ou sem Augusto Aras, procurador-geral da República.

De acordo com a colunista Malu Gaspar, do jornal O Globo, membros da CPI já estão discutindo a alternativa com membros da Ordem de Advogados do Brasil (OAB), que podem assumir a causa em nome de associações vítimas da Covid.

– Em caso de eventual desídia do Ministério Público, a parte legítima da ação, ou seja, o público, ou parentes de vítimas, tem a possibilidade de ofertar uma ação direta privada ao STF – afirma o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues à coluna.

Por lei, Aras tem 30 dias para dar um encaminhamento ao relatório final da CPI, que será entregue a ele no dia 21 de outubro. Caso o PGR arquive o relatório ou não envie as denúncias ao STF, uma alternativa será as entidades de direito privado entrarem com ações diretamente no STF.

Renan Calheiros, relator da CPI da Covid, já mostrou estar decidido a incluir Bolsonaro como um dos responsáveis pelas mais de 600 mil mortes por Covid-19. Neste domingo (10), o parlamentar afirmou que o relatório final da Comissão deve atribuir pelo menos 11 crimes ao chefe do Executivo.

Além de Bolsonaro, outros 30 nomes devem ter indiciamento proposto no relatório final da comissão.

 

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.